SIGA O EM

Debate na TV Alterosa acirra briga entre Kalil e João Leite pela PBH

Em clima tenso, os candidatos trocaram acusações sobre Previdência, supersalários e citações nas operação Lava-Jato e Acrônimo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1082625, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Marcos Vieira/EM/D.A Press ', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/10/26/817890/20161026004348578721e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 26/10/2016 00:34 / atualizado em 26/10/2016 19:48

Juliana Cipriani /Estado de Minas , Marcelo da Fonseca

Marcos Vieira/EM/D.A Press

Os candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte tiveram um duro confronto na noite dessa terça-feira no debate da TV Alterosa. Com três blocos de perguntas livres, o ex-presidente do Atlético Alexandre Kalil (PHS) e o deputado estadual João Leite (PSDB) passaram a maior parte do tempo se acusando, repetindo o clima tenso que já vinha de outros encontros. Entraram em pauta temas como a dívida da Previdência, as operações Lava-Jato e Acrônimo e os supersalários da Assembleia Legislativa.

Confira o debate dos candidatos à PBH na iíntegra:


Já na primeira pergunta, o candidato João Leite disse ser a voz de Adriana Madureira, uma ex-funcionária de Kalil, que, segundo o tucano, estaria sem receber do empresário. Ela estava no estúdio como convidada da campanha do PSDB. Kalil pediu que ela levantasse a mão e não a reconheceu, respondendo que ela nunca foi funcionária dele. "Nunca conversei nem três palavras com ela, mas deve ter custado um pouco mais caro que o Geraldo", respondeu Kalil.

João Leite continuou, dizendo que vai denunciar Kalil ao Ministério Público por crimes "ocultação de patrimônio, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro". O candidato do PSDB afirmou ainda que outros antigos funcionários do ex-presidente do Atlético o estão procurando. "Se fôssemos atender todo mundo que está nos procurando, teríamos de ir para a virada da Alterosa", afirmou. Alexandre Kalil afirmou que João Leite vai mudar de nome para João Tibé (em referência ao ex-candidato do PTdoB, Luís Tibé) e disse que o oponente sempre cuidou de bandido. Em seguida, disse que queria falar de proposta. "Quero te tirar da fila, quero tratar de você. A Justiça está aí, pode encaminhar o que quiser", afirmou.

Na sua vez de perguntar, Kalil questionou João Leite sobre qual seria sua proposta para as vilas e aglomerados, que, segundo ele, o tucano parece não conhecer. O candidato do PSDB aproveitou a resposta para mais uma provocação. "Conheço sim, estou conhecendo pessoas que trabalharam pra você e não tem direito sequer a aposentadoria", disse.

Na sequência, João Leite disse tratará das moradias e quetem um grande programa para as áreas de risco. "Vamos regularizar aqueles locais que forem possível", disse. Já Kalil disse que a Urbel, que poderia cuidar do problema das moradias, está abandonada. "Temos que reativar a Urbel e tirar as pessoas da área de risco, isso é vida, isso não pode esperar", afirmou. João Leite disse que o órgão está ocupado por indicados do vice de Kalil, Paulo Lamac (Rede). E voltou a atacar, dizendo que o "jeito novo" é não maltratar o trabalhador. "Não dá para fazer o que você fez nas empresas em BH", disse.

Segundo bloco


No segundo bloco, os candidatos formularam perguntas sobre temas específicos, como mobilidade urbana, despoluição da Pampulha, cracolândia e redução da máquina pública. Kalil questionou João Leite sobre a proposta de sua campanha de instalar um bonde no Hipercentro de BH. "Um bonde subindo a Rua da Bahia, a Tamoios, em uma região já muito caótica, vai fazer o trânsito melhorar?, perguntou o empresário. João Leite afirmou que sua proposta busca desenvolver a atração turística na Região Central, mas que o bonde não seria usado em dias de semana. "Temos nossos sítios históricos que precisam ser valorizados. Os bondes funcionariam nos finais de semana" respondeu o tucano.

Sobre a despoluição da Pampulha, João Leite afirmou que já conseguiu R$ 140 milhões para as obras e que pretende negociar com a Prefeitura de Contagem para impedir que o esgoto continue sendo despejado na lagoa. Kalil rebateu dizendo que, se a PBH já tem recurso e não usou ainda, seria uma vergonha para o prefeito Marcio Lacerda. "Alguém acredita que a prefeitura tem R$ 140 milhões na mão? Então porque não usou até hoje?", questionou.

O tema mais polêmico foi sobre a redução da máquina pública de Belo Horizonte. Kalil afirmou que a PBH tem hoje 4 mil vagas "destinadas aos amigos e políticos de vereadores" e que "vai demitir todos assim que assumir a prefeitura". "Esses cargos entregues para políticos custam por ano R$ 180 milhões para a nossa cidade. Isso precisa acabar", disse Kalil. João Leite afirmou que será preciso fazer um diagnóstico sobre as áreas que precisam ser reduzidas e que "Kalil quebrou suas empresas e não tem condições de fazer uma boa gestão". "Precisamos saber quais áreas podem ser reduzidas. O candidato, que faliu suas empresas não sabe fazer isso", afirmou João Leite.

Terceiro bloco


O terceiro bloco esquentou com trocas de acusações entre os candidatos. João Leite começou dizendo que Kalil foi condenado a três anos e nove meses de prisão por colocar no bolso dinheiro da Previdência de funcionários e questionou por que o empresário colocou R$ 2,2 milhões em sua campanha e não os pagou. Kalil respondeu que João Leite fez nove campanhas e que ele está em sua primeira. Disse ainda ter vendido um imóvel para investir esse dinheiro na eleição. Kalil também citou o fato de o adversário ter uma casa em Orlando (EUA). "Ele tem casa em condomínio fechado e o vizinho da direita é o Mickey e o da esquerda é o Pluto, porque é em Orlando", afirmou.

João Leite disse que, além do eleitor, o pai de Kalil sabia quem é ele, pois trabalhou 17 anos no Atlético e Elias Kalil não quis vendê-lo. Já o candidato do PHS desafiou João Leite a publicar a carteira de trabalho da funcionária que ele trouxe na plateia para provar que era contratada dele. "Chega de farsa", bradou. Kalil disse ainda que João Leite conhece mesmo o pai dele, pois foi ao escritório dele pedir dinheiro para casar. "Não queria levar isso para o debate, mas ele é pidão, foi ao meu pai pedir dinheiro para casar", disse.

Na sua vez, Kalil perguntou sobre o hospital Risoleta Neves. O tucano homenageou vereadores e deputados eleitos e disse que o governo do PSDB colocou dinheiro no Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII. Kalil afirmou que a prefeitura precisa assumir a gestão administrativa do Risoleta para que o hospital tenha um comando único.

O tucano disse que pretende fazer projetos de reforma popular para as vilas e favelas e questionou o adversário sobre o assunto. Kalil elogiou. Foi a deixa para o tucano criticá-lo novamente. "Que bom que você colocou no seu programa de governo, copiou nossa proposta", disse Leite. "Tava indo bem até a placa solar, nós temos é que levar esgoto pra sua rua, ninguém vai colocar placa solar em um barracão de ocupação. Vamos tentar levar água, luz, condição humana mínima para você, isso é realidade", respondeu o ex-presidente do Atlético.

Kalil disse a João Leite que Aécio viria do Rio para tentar salvar a campanha dele e perguntou se, na condição de investigado, o povo mineiro iria recebê-lo bem. João Leite saiu em defesa do padrinho político. "O senador Aécio tem várias menções e citações na esgotosfera, mas não tem nada de concreto. Diferente de você, que está condenado. Quer falar dele aqui", questionou.

João Leite disse ainda que Aécio vai se defender e lamentou que as pessoas continuem fazendo isso contra ele. Kalil respondeu que não está na esgotosfera. "Não é videozinho não, está sendo investigado na Lava-Jato pelo ministro Teori Zavaski, pelo procurador Janot, por citação na delação do Delcídio", retrucou Kalil. João Leite mais uma vez recorreu à aposentadoria do trabalhador, dizendo que o adversário a colocou no bolso. Na sequência, João Leite citou a Operação Acrônimo que está investigando o governador Pimentel. O candidato tucano disse que o vice de Kalil, deputado Paulo Lamac (PT), teria sido citado na investigação, o que ensejou um direito de resposta. No entervalo, Lamac negou a citação.

Quarto bloco


No último bloco, a troca de acusações esquentou ainda mais o debate. Os dois candidatos tiveram pedidos de respostas aceitos pelos advogados que acompanharam o confronto. Kalil afirmou que não foi condenado "nem está usando tornozeleira" e que são os tucanos que temem novas etapas das investigações da Lava-Jato: "Está saindo uma nova delação sobre a Cidade Administrativa (construída durante o governo Aécio) que vai deixar muita gente deles com medo", disse.

O tucano rebateu acusando Kalil de ser um "cartola que apoiou José Maria Marin", ex-presidente da CBF que está em prisão domiciliar acusado de envolvimento em esquemas de corrupção. "Você elevou a dívida do Atlético, é um cartola amigo de Marin, gente suja que está condenada", afirmou João Leite. Kalil respondeu dizendo que Marin é um mentiroso e que não apoiou o ex-presidente da CBF.

Kalil chamou João Leite de "malandrão" e disso que o tucano tem filho empregado pelo prefeito Lacerda. "Nós não vamos aceitar essa politicagem na prefeitura. Vamos colocar essa corja na rua e fazer a prefeitura funcionar", disse o ex-presidente do Galo. João Leite afirmou que Kalil deve desculpas aos funcionários, citando Adriana Madureira e os ex-funcionários que "não receberam pelo trabalho prestado em suas empresas".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Druso
Druso - 27 de Outubro às 11:08
Vamos por partes, um de cada vez. Primeiro, a gente detonou o Cunha, agora é a vez de Aecim. Assim, a gente vai acabando, um a um, com os golpistas. Kalil, meu bandido favorito, vc vai acabar com o Aecim aqui em MG. Depois, a gente te pega. Mas só lá na frente, tem outros peixes grandes antes de vc.
 
Liliane
Liliane - 26 de Outubro às 15:15
Estamos mesmo a sem opção.... mas o kalil ainda consegue ser pior porque uma pessoa que não consegue administrar a própria vida como vai conduzir uma cidade???? Não vejo nenhuma superioridade nesta pessoa.
 
Eduardo
Eduardo - 26 de Outubro às 13:58
Pessoal tá cego, fazer o que. Ano que vem estarão todos aqui reclamando do Kalil.
 
Fernando
Fernando - 26 de Outubro às 12:11
É rapaz, vai ter que ser João Leite mesmo... Kalil não dá. Abs!
 
Silvio
Silvio - 26 de Outubro às 11:57
Foi de dar do o debatedor Joao Leite ontem na TV Alteroso. A superioridade do Kalil foi gritante diante da tatica errada do Joao Leite, que nada deu certo para ele ontem. Achou que levando uma ex prestadora de serviços, que supoe-se ser do Kalil sem as devidas provas, iria intimidar o Kalil ? A equipe de campanha de Joao Leite esta batendo cabeça e ja se perdeu, não se recupera mais. Ja era. Podem voltar para onde Aecio trouxe vocês.
 
Marcos
Marcos - 26 de Outubro às 11:40
Leiam o comentário do Ramiro Batista, que tem link aqui no portal. Importante a visão dele com relação à postura de Kalil de defender invasores de terra, especialmente do chamado Isidoro, comparando a coisa à invasão de leitos destinados a candidatos inscritos para transplante. E também a hipocrisia de chamar de ocupação o que é INVASÃO. Invasão é apropriação indébita. Roubo. E para roubo a punição é cadeia! |MP|
 
Druso
Druso - 26 de Outubro às 13:16
Sério mesmo, coxinha?
 
FelipeGuerra
FelipeGuerra - 26 de Outubro às 11:38
Kalil representa na política aquilo que há de mais podre em MG: Iran Barbosa, Irani Barbosa e Marcelo Aro. Só lata de lixo.
 
Jeronymo
Jeronymo - 26 de Outubro às 11:05
Na minha opinião um cara que só prometeu mundos e fundos o que não pode faze e que agora com ódio no coração só sabe atacar a privacidade do concorrente, não merece voto de ninguém. Além disto, se caso fosse eleito, na minha opinião iria ser páu mandado do Aécio, como repetindo na minha opinião foi Lacerda, que teve que nomear secretários incompetentes para determinados cargos.
 
Marcelo
Marcelo - 26 de Outubro às 10:40
Kalil, Kalil, Kalil, Kalil! Na cabeça!
 
Eduardo
Eduardo - 26 de Outubro às 10:34
Se o debate se destacou pelas baixarias, o cenário, então, nem se fala. Que pobreza aqueles TVs no fundo. O pau quebrando e as TVs mostrando imagens da Lagoa da Pampulha. Fundo preto. Imagens de baixa qualidade. A TV Alterosa devia ter vergonha de apresentar algo com tão baixa qualidade televisiva. Por sinal, a altura do debate.
 
Adriano
Adriano - 26 de Outubro às 10:26
Quem vencer será um mero pagador de servidor público. A Prefeitura só tem dinheiro para isso. Pagar funcionário. Tudo balela as promessas de ambos, seja qual for, não tem dinheiro para nada.
 
Erica
Erica - 26 de Outubro às 10:24
Devido a um compromisso, não pude assistir ao vivo, então, estava aqui tentando assistir o video, mas sinceramente, não dá pra acompanhar nada por esta página.... menos de 30 min de debate e o site atualizou e começou do 0 com comerciais 4 x. Ou vocês melhoram isso, ou vão perder os últimos internautas que ainda entram aqui. E olha que eu sou assinante do UAI desde 2002.
 
Geraldo
Geraldo - 26 de Outubro às 10:21
Só tenho uma afirmação: nós Belorizontinos vamos penar nos próximos 4 anos.
 
Marcos
Marcos - 26 de Outubro às 11:37
Concordo. |MP|
 
Carlos
Carlos - 26 de Outubro às 10:17
Os candidatos podem não ser o melhores mas entregar o osso para o Aécio Neves, Anastasia, Alberto Pinto Coelho, PMDB, é dose! Dá asia em sal de fruta!
 
Marcio
Marcio - 26 de Outubro às 10:10
Debate rasteiro recheado de acusações imuteis , não mostraram provas, propostas concretas absolutamente nada. Pobre Bhte , mesmo assim ainda aposto no Kalil .
 
Erica
Erica - 26 de Outubro às 10:00
Triste é tentar acompanhar o debate pela internet e o link dando problema o tempo todo. Que vergonha, Diários Associados.
 
Carlos
Carlos - 26 de Outubro às 09:46
Ou seja, João Leite enterrou o Kalil com inúmeras acusações comprovadas e o Kalil não conseguiu nenhuma acusação concreta contra o João Leite. O Kalil Maluf está liquidado.
 
Aline
Aline - 26 de Outubro às 09:38
"Ele tem casa em condomínio fechado e o vizinho da direita é o Mickey e o da esquerda é o Pluto, porque é em Orlando" kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Kalil 31!
 
Full
Full - 26 de Outubro às 11:36
E o Kalil, se morasse num país sério, teria como vizinhos, de um lado o Fernandinho Beira Mar e do outro lado o Bruno goleiro.
 
Imaculada
Imaculada - 26 de Outubro às 09:11
O FILHO DE JOÃO LEITE TRABALHA NA PREFEITURA SEM CONCURSO PÚBLICO. ESSA PRÁTICA É PROIBIDA E SE DENOMINA NEPOTISMO CRUZADO. O JOÃO LEITE DESCEU O MÁXIMO QUE UMA PESSOA PODE DESCER À TROCA DE VOTOS. JÁ VOTEI NELE PARA DEPUTADO ESTADUAL, NUNCA MAIS VOTARIA NELE, POIS A MÁSCARA DELE CAIU . EU PROCUREI NA INTERNET A LISTA DE CAIXA 2 DE FURNAS E O NOME DELE CONSTA COMO BENEFICIÁRIO, A LISTA FOI PERICIADA PELO RICARDO MOLINA. ESTÁ NA INTERNET.
 
Alexandre
Alexandre - 26 de Outubro às 08:18
Mais uma vez o debate e regido por baixarias e nada de propostas, dois candidatos que não estão nem ai para divulgar suas ideias a população é porque provavelmente não tem nada a apresentar, mais uma gestão fantasma, e se nem ideias estão apresentando, quem dirá resultados! ! ! VOU ANULAR MEU VOTO. . .
 
rodrigo
rodrigo - 26 de Outubro às 11:59
Alexandre, como você discute propostas, se o milk shake só sabe atacar e jogar uma ex coitada que vai encher o saquinho de dinheiro nosso? Se o kalil não responde fica como covarde, e se ele se defende fica como não tinha propostas! Em vários momentos ele disse: Eu vim pra discutir propostas, mas vou ter que responder o milk shake!
 
Erlei
Erlei - 26 de Outubro às 10:43
Nem vou me dar ao trabalho de ir à urna, pois esses candidatos não me representam, nem representam o povo.