SIGA O EM

Corrupção tira R$ 200 bilhões ao ano dos cofres públicos, diz procurador da Lava-Jato

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/09/2015 18:49 / atualizado em 15/09/2015 18:58

Agência Estado

Em um momento em que o governo da presidente Dilma Rousseff tenta aprovar um novo pacote de ajuste fiscal a fim de fechar o rombo em suas contas públicas, o procurador da República Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Operação Lava-Jato, disse que os recursos desviados em esquema de corrupção no Brasil tiram dos cofres públicos algo em torno de R$ 200 bilhões por ano.

Em exposição realizada na manhã desta terça-feira, no lançamento da campanha "10 Medidas contra a Corrupção", Dallagnol disse que em um ano de Lava Jato já foram denunciadas mais de 150 pessoas, fechados mais de 28 acordos de delação premiada e revertidos voluntariamente aos cofres públicos mais de R$ 1,5 bilhão. Segundo ele, as propinas pagas, que teriam sido desviadas dos cofres da Petrobras, somam mais de R$ 6,2 bilhões. "Isso (R$ 6,2 bilhões) é apenas a ponta do iceberg do que é desviado no Brasil, algo em torno de R$ 200 bilhões", afirmou. "É um valor tão alto que não dá pra imaginar o que se faz com tanto dinheiro. Poderíamos triplicar os investimentos federais em saúde, educação, segurança."

A Lava-Jato começou apurando um esquema dentro da Petrobras e agora se amplia para outros órgãos públicos, como a Caixa, a Angra Nuclear e ministérios, como o Planejamento, disse o procurador. "Hoje, o objeto do caso Lava-Jato é a corrupção político-partidária, com desvio de dinheiro para fins eleitorais e para engordar o bolso dos envolvidos."

Dallagnol disse ainda que os crimes de corrupção no país matam mais do que os de homicídios e a repercussão da Lava-Jato chegou a tal ponto que o tema virou corrente até em conversas de bar. "Vivemos um momento único e, se o perdermos, talvez não tenhamos outro. Por isso é preciso cobrar medidas de combate à corrupção, não só dos parlamentares", disse.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Geraldo
Geraldo - 16 de Setembro às 10:27
Já temos fama de ter sempre um jeitinho brasileiro para resolver as coisas desde pequenos. Mentimos, facilitamos, chantageamos, protegemos e aceitamos isto para nossos filhos, parentes e amigos. Isto cresceu tanto em escala que chegou até as esferas mais importantes do nosso país. Para acabar haverá um longo caminho partindo de cada um de nós do mesmo jeito que começou. O problema é que tem muita gente "de bem" que ainda não vê que isto é nocivo a todos.
 
JOSE
JOSE - 16 de Setembro às 08:36
Sempre disse que o maior mal do Brasil era a Corrupção. A corrupção deveria ser tratada como crime HEDIONDO, com penas duras, sem direito a progressão, sem direito a recorrer em liberdade. O corrupto, no geral é um cidadão esclarecido, que frequentou escolas.... Portanto não deveria ter complacência com CORRUPTOS e CORRUPTORES.
 
Fabio
Fabio - 16 de Setembro às 06:29
Fala-se em desvio no Brasil em torno de 200 bilhões. Agora querem o retorno da CPMF para cobrir os desvios existentes. Será que os representantes do povo brasileiro irão aceitar essa aberração ou todos são farinhas do mesmo saco?
 
Daniel
Daniel - 16 de Setembro às 04:35
É um câncer da sociedade atual que precisa ser erradicada. Seu nome... Corrupção! Está entranhada em todos os setores públicos deste pais. União, Estados e Municípios só contratam empreiteiras se pagam a tal propina. Sindicatos,, ong's e entidades filantrópicas só sobrevivem através de doações políticas. A conclusão que se chega é que a coisa vai mudar em 2910. Dá para esperar ... Tá pertinho!