SIGA O EM

Dilma critica confronto físico entre militantes

Petista diz que 'clima quente' é normal, mas conflitos têm que ficar 'no campo das ideias'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/10/2014 06:00 / atualizado em 24/10/2014 09:55

Estado de Minas

 

Ricardo Moraes/Reuters

Rio de Janeiro – A presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, lamentou o confronto na tarde dessa quinta-feira entre militantes do PT e do PSDB, que trocaram chutes e tapas na frente do Theatro Municipal, no Centro de São Paulo. “Você tem confrontos, conflitos, mas eles têm que ser de ideias. Ninguém pode sair do campo das ideias e ir para o campo da realidade física. Acho que é importante que haja debate, que às vezes seja mais quente, desde que fique no campo das ideias, isso é democracia”, afirmou, em entrevista coletiva em um hotel na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde a petista se prepara para o debate de hoje na TV Globo.

Perguntada se a tensão dos últimos dias teria incentivado esse tipo de movimento, ela afirmou que o “clima fica mais quente” no fim das eleições. “Acho que não podemos chegar agora e criar um fantasma disso tudo. Não há esse clima no Brasil. Em manifestações, não vi atitude de agressão, mas sim de festa”, afirmou.

Questionada sobre o comentário do ex-presidente Lula, que chamou o candidato do PSDB, Aécio Neves, de “filhinho de papai” em campanha no Rio, Dilma citou outra declaração de seu adversário tucano. “Você deveria perguntar sobre isso para o presidente Lula”, disse a candidata, antes de prosseguir. “Mas é correto também alguém me chamar de leviana?”.

Dilma respondeu ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que a criticou por não reconhecer o legado deixado pelo governo tucano. “Não reconheço os ganhos sociais do governo Fernando Henrique. Reconheço a estabilidade da moeda. Lamento que ele fique irritado com isso”, disse.

Pesquisas

Levantamento Ibope divulgado ontem mostra Dilma Rousseff (PT) com 54% das intenções de voto na corrida presidencial, e Aécio Neves (PSDB) com 46%, considerando os votos válidos. Levando em conta os votos totais, a petista tem 49%, e o tucano, 41%. Brancos e nulos somam 7% e 3% não sabem ou não responderam. Sob o registro BR-01168/2014, o levantamento foi feito entre os dias 20 e 22 em 203 cidades e ouviu 3.010 eleitores. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

Também divulgada ontem, pesquisa Datafolha (BR-011162/2014) aponta Dilma com 53% dos votos válidos e Aécio com 47%. A petista tem 48% das intenções dos votos totais, e o tucano, 42%. Brancos e nulos somam 5%, mesmo percentual dos indecisos. Foram ouvidas 9.910 pessoas em 399 municípios, na quarta-feira e ontem. A margem de erro e o índice de confiança são iguais aos do Ibope.

Também foi divulgado na tarde de ontem o levantamento mais recente do Instituto Sensus. A pesquisa aponta tendência diferente das divulgadas por Ibope e Datafolha. De acordo com o Instituto Sensus, Aécio Neves tem vantagem de quase 10 pontos percentuais, atingindo 54,6% dos votos válidos; já Dilma Rousseff tem 45,4% dos votos válidos.