Publicidade

Estado de Minas

Presa quadrilha que cometia roubos na Grande BH e trocava produtos por armas e drogas

Com o grupo foram apreendidos aproximadamente 270 tabletes de maconha prensada. Um dos criminosos já tinha um mandado de prisão em aberto por assaltar um banco


postado em 01/09/2017 17:24 / atualizado em 01/09/2017 17:50

Quadrilha usava os produtos roubados para trocar por drogas(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Quadrilha usava os produtos roubados para trocar por drogas (foto: Polícia Civil/Divulgação)

Roubos de cargas em Belo Horizonte e cidades da região metropolitana era uma das modalidades de uma quadrilha presa pela Polícia Civil. As investigações apontaram que os materiais roubados eram trocados por drogas e armas. Com o grupo foram apreendidos aproximadamente 270 tabletes de maconha prensada. Um dos criminosos já tinha um mandado de prisão em aberto por assaltar um banco. Eles foram apresentados na tarde desta sexta-feira e se mantiveram calados.

Os dois homens já estavam sendo investigados há dois meses por roubos de cargas. Na última quarta-feira, Ademar José de Sena Júnior, conhecido como “Juninho Mongol”, de 36 anos, e Marcus de Oliveira Bernardes Xavier, de 27, foram presos no Bairro Água Branca, em Contagem, na Grande BH. No veículo onde eles estavam, um Fox, foram apreendidos 129 tabletes de maconha. Na residência de Marcus, outros quatro tabletes do entorpecente foram encontrados, assim como uma balança de precisão e sete celulares.

Os investigadores também foram a um sítio em Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde encontraram mais 136 tabletes de maconha. O local, segundo as investigações, era usado para o depósito das drogas. Lá, foram presos Leandro dos Santos Pereira, de 21 anos, Patrique Marques Martins, de 24, e Weverson Antônio Leal, de 24.

De acordo com o delegado Gustavo Barletta, responsável pelo caso, o grupo cometia os crimes de roubo em Belo Horizonte e região metropolitana, principalmente Contagem e Betim. “Nós acreditamos que o Ademar roubava a carga de vans, furgões, caminhões, e trocava por armas, munições e drogas. Ele comete crimes há muito tempo, mas há pelo menos um ano que ele vinha cometendo esses, em específico. Acreditamos que eles guardavam a droga sempre no sítio, mas ainda estamos apurando se eles vendiam diretamente ou repassavam para outros traficantes”, ressalta o delegado.

Entorpecentes foram encontrados dentro de um carro(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Entorpecentes foram encontrados dentro de um carro (foto: Polícia Civil/Divulgação)


Alguns dos integrantes da quadrilha já tinham antecedentes criminais. Ademar já foi preso anteriormente por receptação com concurso de pessoas, falsificação de documento público, uso de documento falso, roubo, associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido. Patrique tem passagens por tráfico e uso de drogas. Weverson possui antecedentes por posse irregular de arma de fogo de uso permitido, uso de drogas e por dirigir sem habilitação. Marcus e Leandro não possuem antecedentes criminais. Eles foram presos em flagrante por tráfico de drogas e associação ao tráfico.

Eles foram encaminhados para um Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp), onde vão ficar à disposição da Justiça. Ademar já tinha um mandado de prisão preventiva por roubo, cometido ao Banco do Nordeste, em 2006. Por isso, vai responder também por este crime. A polícia ainda busca mais suspeitos de integrar a organização criminosa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade