SIGA O EM

Avenida Afonso Pena ganha os seis primeiros novos abrigos de ônibus

Ao todo, serão instalados 1,3 mil coberturas em quatro anos, segundo a BHTrans, metade nos primeiros 12 meses

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1050790, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Cristina Horta/EM/D.A.Press', 'link': '', 'legenda': 'Modelo dos pontos que ser\xe3o instalados em v\xe1rias regi\xf5es de BH', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/07/01/779129/20160701185828678819o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 01/07/2016 15:31 / atualizado em 01/07/2016 21:30

João Henrique do Vale

Cristina Horta/EM/D.A.Press

Já estão instalados em Belo Horizonte os seis primeiros novos abrigos de ponto de ônibus que substituem as antigas estruturas nas ruas e avenidas da cidade. As trocas ocorreram na Avenida Afonso Pena entre a sede da Prefeitura e a Praça Sete, no Centro. A implantação acontece depois de mais de dois anos e dois processos licitatórios, como antecipou o Estado de Minas em junho deste ano. Ao todo, são 1,3 mil novas coberturas. O prazo de instalação será de quatro anos, segundo a BHTrans, sendo 50% nos primeiros 12 meses.

As trocas começaram no último sábado no Centro de Belo Horizonte. Foram alteradas as estruturas de dois pontos próximos a prefeitura, altura dos números 1.148 e 1.162, e outros quatro no entorno da Praça Sete, próximo ao Edifício Mariana, no número 540, perto do Hotel Financial, 571, no Banco da Lavoura, no número 776, e na Casa da Fotografia, no número 749.

Das 1,3 mil novas coberturas, 1,1 mil serão no modelo padrão, 100 serão destinadas a áreas com prédios históricos e as 100 restantes serão menores, para calçadas estreitas (de até 2 metros). Do total, 300 vão substituir abrigos danificados. Dos outros mil, parte será levada para locais onde não há abrigos e a outra será usada para padronizar os equipamentos.

Os novos abrigos têm área 25% maior, iluminação interna, novo leiaute, vidros nas laterais e fundo em metal vazado. Também terão placa com letreiro luminoso, painéis com sistema de informação sobre horários dos coletivos e conexão wi-fi. Nele, há um espaço reservado exclusivamente para cadeirantes e também assentos para idosos, gestantes, pessoas com deficiência e pessoas com criança no colo. Por meio de um painel, os usuários vão poder acompanhar o tempo para a chegada dos ônibus.

A concessionária vencedora da licitação será responsável por criar, instalar e fazer a manutenção dos equipamentos, tendo o direito à exploração publicitária de totens, durante 25 anos. O contrato prevê investimento da empresa em torno de R$ 30 milhões para instalação, e o mesmo valor para custeio de reparos, durante a vigência da concessão.

 

(RG)

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Alfredo
Alfredo - 02 de Julho às 08:53
Tem conexão wifi?! Durante quanto tempo? E como você vai usar um celular ou notebook ou tablet com segurança, sem ser roubado? Ao invés de instalar estas coberturas para inglês ver, não era melhor instalar um policial em cada ponto?
 
Ivam
Ivam - 01 de Julho às 16:49
Excelente mudança. Mas o que me preocupa é a depredação por parte da própria população que adora destruir ponto de ônibus ou pinchar.
 
Reinaldo
Reinaldo - 05 de Julho às 15:34
Bem que disseram. Um ponto já foi quebrado...
 
Reinaldo
Reinaldo - 05 de Julho às 15:34
Deve ser chato, ser chato...