SIGA O EM

População de Paracatu de Baixo pede reconstrução de povoado

Distrito de Mariana foi um dos destruídos pelo rompimento da barragem na Samarco

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 961334, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jair Amaral/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': 'Prefeito de Mariana, Duarte J\xfanior, se encontrou com os moradores de Paracatu de Baixo', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2015/11/17/708818/20151117101000611230e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 17/11/2015 09:57 / atualizado em 17/11/2015 10:19

Renan Damasceno - Enviado Especial

Jair Amaral/EM/D.A Press
Mariana - Ao contrário da população de Bento Rodrigues, que terá de se mudar para um lugar longe do povoado original, destruído pela lama da Samarco, os moradores de Paracatu de Baixo querem a reconstrução das cerca de 80 casas do lado das originais em ponto mais alto e seguro. Em reunião na manhã desta terça-feira no clube da Vale, em Mariana, os moradores votaram, de forma quase unânime, pela reconstrução da comunidade perto de onde a lama de rejeitos do rompimento da barragem da Samarco passou, no último dia 5, destruindo quase todo o distrito.

"A gente nasceu lá, foi criado, conhece todo mundo e queremos ficar lá mesmo, mas em segurança. Nós queremos um terreno mais alto. Todo mundo quer voltar", afirmou a dona de casa Maria Geralda, moradora de Paracatu.

A reunião foi presidida pelo prefeito de Mariana Duarte Júnior e com a presença da Defesa Civil, secretários, assistentes sociais e OAB. Uma comissão de moradores foi eleita e terá um encontro com a Samarco ainda na tarde desta terça-feira. "Nosso objetivo é dar celeridade ao processo para que as cerca de 300 pessoas possam saber onde vão morar", afirmou o prefeito.

Paracatu de Baixo, assim como Bento, foi uma das comunidades mais destruídas pela lama. "Lá não tem água, luz, sobrou quase nada, só as casas mais altas. No centro está tudo na lama ainda, tentaram abrir um caminho, mas não dá pra voltar", disse o lavador Edson Teotônio.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600