SIGA O EM

Alvo de críticas, Sebastião Salgado publica post sobre tragédia de Mariana

Fotógrafo mineiro diz que Instituto Terra, do qual é proprietário, vai desenvolver um projeto para a recuperação do Rio Doce

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/11/2015 19:15 / atualizado em 13/11/2015 21:29

Ellen Cristie /Estado de Minas

Depois de ter sido criticado nas redes sociais, o fotógrafo mineiro Sebastião Salgado publicou um post no Facebook em que reforça a necessidade de ações urgentes para reduzir o sofrimento da população e os impactos ambientes com o rompimento das barragens Fundão e Santarém, na última quinta-feira, no subdistrito de Bento Rodrigues, em Mariana.

Reprodução/Facebook/Instituto Terra
Com a esposa Lélia Deluiz Wanick Salgado, o fotógrafo criou o Instituto Terra, uma ONG ambiental, com o apoio da Vale. No post, ele diz que seu instituto mobilizou a equipe para o desenvolvimentode um projeto de recuperação do Rio Doce.

POSICIONAMENTO Antes de se manifestar, Sebastião Salgado foi muito criticado nas redes sociais porque não havia se posicionado quanto à tragédia de Mariana. Várias pessoas cobravam dele uma declaração. "Sebastião tem algo a dizer sobre o desastre ambiental em MG com o rompimento da barragem da Samarco ( controlada pela Vale, principal patrocinadora do projeto Genesis) ?". dizia uma internauta no Facebook. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
VICENTE
VICENTE - 13 de Novembro às 21:54
assisti a uma palestra dele, noSesc Palladium, no projeto Sempre Um Papo. simplesmente fantástico. ele tem feito ações concretas, que é o que importa, ao contrário de muitos que se limitam às críticas em redes sociais. O seu projeto já existe e é ambicioso,e, precisa de ajuda, tanto dos Governos (Municipal, Estadual, Federal) quanto da sociedade Civil. Não podemos deixar tudo nas mãos de poucos. todos tem que dar sua parcela EFETIVA de contribuição. Aos que não sabem, melhor pesquisar e vão achar farta leitura sobre o projeto.