SIGA O EM

Professores da UFMG decidem entrar em greve

Decisão foi tomada em assembleia nesta sexta-feira. Paralisação de professores vai atingir os campi de BH e Montes Claros, segundo sindicato

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1085744, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o internet/Facebook', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/11/823177/20161111123300790968i.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}, {'id_foto': 1085745, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o internet/Facebook', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/11/823177/20161111123306847553o.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 11/11/2016 12:25 / atualizado em 11/11/2016 12:58

Estado de Minas

Reprodução internet/Facebook

A partir do dia 16 de novembro, quarta-feira, os professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) entram em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em uma assembleia realiza na manhã desta sexta-feira no campus Saúde, que fica no Bairro Santa Efigênia, Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Segundo o Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco (Apubh), o objetivo é protestar contra a PEC do Teto - que congela os reajustes dos gastos públicos por 20 anos, em tramitação no Congresso.

O Sindicato informou que cerca de 520 professores se reuniram na assembleia. De acordo com o vice-presidente da Apubh, Dalton Rocha Pereira, a paralisação será gradativa a partir de hoje nos campi de Belo Horizonte e Montes Claros. Na quarta-feira, haverá uma outra assembleia para oficializar a paralisação total.

Reprodução internet/Facebook
“Vamos lutar contra a PEC que bloqueia os gastos para a saúde, educação e a segurança e social. Se não pararmos agora, o Brasil vai parar por 20 anos”, disse. A ideia, segundo Pereira, é que outros os outros campi da federal entrem no movimento futuramente.

Professores da UFMG saem da área hospitalar em direção ao protesto no Centro

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600