SIGA O EM

Vale Tudo

Confira o último dia da propaganda eleitoral dos candidatos a prefeito de BH

No encerramento da campanha no rádio e na TV, candidatos a prefeito de Belo Horizonte fazem promessas, agradecem o apoio da população, apresentam suas trajetórias e atacam adversários

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 30/09/2016 07:49

Isabella Souto /

No último dia da propaganda eleitoral veiculada no rádio e na televisão, os 11 candidatos a prefeito de Belo Horizonte apresentaram de tudo na tentativa de conquistar os eleitores: agradecimentos, promessas, currículos e ataques. Primeiro colocado nas pesquisas – e também o que tem maior tempo de programa –, o deputado estadual João Leite (PSDB) se apresentou como alguém que tem uma “vontade imensa” de servir à capital mineira e lembrou que suas propostas foram formuladas a partir de discussões com moradores e especialistas. O tucano aproveitou para criticar a administração de Marcio Lacerda (PSB).

“Dinheiro tem, o que falta é gastar melhor”, afirmou. João Leite ainda apresentou como sérios problemas da cidade a longa espera dos usuários da saúde pública por consultas especializadas, o déficit de 17 mil vagas nas creches e a ocorrência de cinco roubos por hora no ano passado. “Chegou a hora de você escolher. Está em jogo o destino da cidade que nos viu crescer e que construímos todos os dias. Uma cidade contraste que ainda carrega injustiça nas ruas, mas que tem também muitas pessoas que acreditam em dias melhores”, completou ele, que prometeu uma gestão transparente.

Com apenas 20 segundos, o ex-presidente do Atlético Mineiro Alexandre Kalil (PHS) adotou um discurso curto e grosso. “Eu não vendi ilusão, eu não te coloquei na Ilha da Fantasia. Eu só falei a verdade. Agora no segundo turno vou ter mais tempo e vou falar mais verdades”, afirmou o candidato, que aparece na segunda colocação nas pesquisas de intenção de votos, bem à frente dos demais adversários. Kalil até teve alguns segundos a mais, no programa do deputado federal Luis Tibé (PTdoB), com quem tem protagonizado alguns bate-bocas nestes últimos dias de campanha.

O programa do parlamentar alertou o eleitor que está na hora de definir quem irá para o segundo turno das eleições: Kalil ou Tibé. “Kalil acusa Tibé de ser político, a prefeitura acusa Kalil de não pagar mais de R$ 500 mil de IPTU que ele deve a BH. A Justiça Federal já condenou Kalil a três anos e nove meses de prisão por ficar com o dinheiro da aposentadoria de seus funcionários. Defeito não é ser político. Defeito é esconder a verdade”, diz o candidato ao pedir votos.

Hora da verdade Outro que partiu para o ataque, mas generalizado, foi o também deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PR). Com o argumento de que chegou a “hora da verdade”, se apresenta como a melhor alternativa para BH. “Tem o candidato do Aécio, que não vai ter voz própria. Tem o candidato do futebol, que não sabe dialogar, só sabe mandar. Tem o candidato do prefeito, que vai deixar tudo como está. Tem o candidato do Temer, da Dilma. E tem a nossa candidatura, um novo jeito, sem padrinho”, afirmou o candidato, referindo-se a João Leite,Kalil, Délio Malheiros (PSD), Rodrigo Pacheco (PMDB) e Reginaldo Lopes (PT), respectivamente.

O vice-prefeito Délio Malheiros rebateu em seu programa o discurso dos adversários que pedem mudanças na cidade, já que, segundo ele, as mudanças começaram desde que Marcio Lacerda chegou à prefeitura, há oito anos, com a construção de Umeis, implantação do Move, centros de saúde e academias nas praças da capital. “Neste domingo, na hora de votar, peço que você avalie isto: a diferença entre prometer mudança e fazer a mudança de verdade”, argumentou. O candidato lembrou que ainda há 30% de eleitores indecisos, a quem pede um “voto de confiança” para que ele chegue ao segundo turno.

Mais humana O programa do deputado federal Reginaldo Lopes (PT) foi o único que trouxe a participação da candidata a vice, a também deputada federal Jô Moraes (PCdoB). Ao agradecer a receptividade que disse ter dos eleitores nas ruas de Belo Horizonte, o petista se apresentou como o autor da Lei de Acesso à Informação e integrante da CPI contra homicídios e negros. “No dia 2, você vai nos dar uma oportunidade de chegar ao segundo turno e vai nos conhecer melhor”. Com imagens de vários pontos da cidade, Reginaldo promete torná-la cada vez “mais humana”.

Colega de plenário da Câmara, Rodrigo Pacheco (PMDB) usou seu tempo para comemorar o crescimento nas últimas pesquisas eleitorais. Em imagens de visitas às ruas, reuniões políticas e entrevistas concedidas durante a campanha, o candidato assegura que “quem precisa mais vai ter mais em nosso governo”. Eros Biondini (PROS) promete ao eleitor “doar a vida” para ser o melhor prefeito de BH, enquanto Sargento Rodrigues (PDT) optou apenas por imagens de arquivo da campanha e o clipe do jingle que frisa seu nome e número.

Únicas mulheres na disputa pela Prefeitura, Maria da Consolação (PSOL) pediu para que cada eleitor convença mais cinco pessoas a digitar seu número nas urnas para que ela chegue ao segundo turno e Vanessa Portugal (PSTU) usou seu tempo para defender o “Fora Temer” enquanto aparecia uma foto com o número de seu partido.

Tags: eleicoes2016
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600