Programa Caminhos de Minas recebe R$ 3,2 bilhões

Recursos para pavimentar estradas do estado vão rodar em 107 municípios. Trechos beneficiam 4 milhões de pessoas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 07/08/2012 06:00 / atualizado em 07/08/2012 07:27

Geórgea Choucair /Estado de Minas

EULER JÚNIOR/EM/D.A PRESS - 25/2/12
O tráfego em 73 rodovias mineiras vai ficar mais fácil. O governador Antonio Anastasia anunciou ontem o início de obras e licitação para novos projetos do programa Caminhos de Minas, no qual estão sendo investidos R$ 3,2 bilhões. Os recursos vão ser usados para pavimentar 1.955,6 quilômetros de rodovias, beneficiando 107 municípios e cerca de 4 milhões de mineiros. Já estão em obras três trechos do programa.

Foi anunciado o início de obras de quatro novos trechos e a abertura de licitação para 56 rodovias. Os novos trechos são: o entrocamento da BR-040 até a MG-353 (Juiz de Fora, Coronel Pacheco e Chácara), com 13,8 quilômetros; a região de Nova União, Taquaraçu de Minas e o contorno de Nova União, com 15 quilômetros; Passa Vinte, na divisa com o Rio de Janeiro, com cinco quilômetros, e Taquaraçu de Minas no entrocamento com Santa Luzia e Jaboticatubas, com 17 quilômetros.

“O programa é uma forma de fazer a integração de cidades, diminuindo as distâncias e criando em Minas um bom ambiente de negócios. Estamos levando qualidade de vida a cada um dos mineiros que mora nessas regiões”, afirmou o governador Antonio Anastasia. O programa, segundo ele, consiste em fazer a ligação asfaltada entre as cidades.

O senador Aécio Neves (PSDB)destacou Minas Gerais como referência de planejamento e eficiência, com o segundo maior programa rodoviário do Brasil. Ele ressaltou, no entanto, que há pouca “generosidade” do governo federal na concessão dos recursos. “E o que temos visto é arrecadação recorde de impostos”, diz. O secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, afirmou que a licitação das obras é priorizada de acordo com o fluxo de veículos e geração de empregos. “Mas no período máximo de um ano teremos a licitação e início de todas as obras”, diz Melles.

Confins O Vetor Norte da Grande BH, onde está o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, tem “luz própria” e vai ganhar investimentos da ordem de R$ 600 milhões, segundo Melles. Os maiores gargalos vividos pelos passageiros que vão ao aeroporto, na avaliação de Melles, são as áreas de embarque e desembarque e o tráfego na região do Shopping Vilarinho. “Há uma trincheira que deve começar a ser construída na área no início de 2013 e concluída até o fim do ano”, observa Melles.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) entregou à construtora Marquise/Normatel nova proposta de cronograma das obras do terminal 1, que estão atrasadas. A Marquise vai avaliar o cronograma e passar o resultado para a Infraero amanhã. A obra prevê aumento na capacidade do aeroporto em 1,6 milhão de passageiros (deve passar de 5 milhões para 6,6 milhões).

O Sindicato Nacional dos Aeroportuários fez uma denúncia ao Ministério Público Federal contra o atraso das obras em Confins em 18 de julho. “Em quase um ano, apenas 8% das obras foram concluídas, sendo que 29% já deveriam ter sido executadas. Tudo está praticamente parado. Daqui a pouco vem a chuva e a situação pode ficar ainda pior”, avalia Leandro Castro Pinheiro, representante do sindicato. A entidade denunciou ainda erros na execução de pilares do estacionamento.

A obra do terminal 1 começou em setembro do ano passado e foi orçada em R$ 223 milhões. O trabalho foi programado para ser feito em nove etapas e ser finalizado em dezembro de 2013, antes da Copa do Mundo. Segundo a Infraero, o cronograma vai ser cumprido até o mundial de futebol.