Publicidade

Estado de Minas BASTIDORES

Ponto de encontro com o futuro

Novo espaço integra funcionários do Grupo FCA e parceiros para entender as demandas do consumidor e fomentar soluções. Ações externas estimulam aprimorar a conectividade


postado em 26/10/2019 04:00

O ambiente colaborativo tem espaços aconchegantes, salas de reunião e postos de trabalho(foto: Leo Lara/FCA/Divulgação)
O ambiente colaborativo tem espaços aconchegantes, salas de reunião e postos de trabalho (foto: Leo Lara/FCA/Divulgação)
 
O veículo usado como ferramenta exclusiva para se locomover de um ponto a outro. Esse conceito vem mudando desde o primeiro dia em que o automóvel foi inventado, e, à medida que este fica mais conectado, tende a se revolucionar. À medida que variáveis como o uso, posse, propulsão, fonte energética e até mesmo a necessidade de ter alguém atrás do volante (se é que este componente será necessário no futuro) se tornam mais complexas, os fabricantes de veículos estão cada vez mais abertos não só para conseguir entender as necessidades do consumidor, como para atendê-las.
 
“Estamos em busca de oferecer algo mais além do produto, queremos transformar a experiência do consumidor. O carro conectado vai abrir um portal de possibilidades, e precisamos trazer isso para a realidade dos brasileiros, que são mais conectados que os americanos e europeus. Essa realidade pede um foco maior e isso requer uma mudança da nossa forma de trabalhar”, resume Breno Kamei, diretor de Portfólio, Pesquisa e Inteligência Competitiva da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) para a América Latina, enquanto apresenta o recém-inaugurado HUB, um ponto de encontro de pessoas, gerações e culturas dentro do Polo Automotivo Fiat de Betim.
 
 Breno Kamei é diretor da Fiat Chrysler Automobiles para a América Latina(foto: Leo Lara/FCA/Divulgação)
Breno Kamei é diretor da Fiat Chrysler Automobiles para a América Latina (foto: Leo Lara/FCA/Divulgação)
 
 
Inspirado em uma estrutura de rede, o objetivo do HUB é integrar funcionários das mais diversas áreas da FCA e parceiros em um ambiente colaborativo. Com salas fechadas e espaços de convivência aconchegantes (que incluem uma copa), além de postos de trabalho não fixos, o HUB é o local ideal para definir o briefing conceitual de um novo veículo, a partir de um mapeamento das tendências e o comportamento do seu consumidor- alvo, orientando os departamentos de engenharia, design, entre outras áreas, na criação do novo produto.
 
“É a visão oposta de uma área tradicionalmente fechada. A inauguração do HUB é o início dessa construção de valor, abrir as portas da empresa para uma participação mais ampla, com menos filtros”, explica Kamei, que espera também agregar mais agilidade às atividades. “Alguns processos de validação que antes levavam de 60 a 90 dias para ser concluídos, agora são feitos em duas semanas”, ilustra o diretor da FCA. O HUB ainda conta com um braço fixo em São Paulo e uma estrutura itinerante capaz de percorrer os estados. A empresa também adotou o home office para algumas áreas.

STARTUPS Externamente, o HUB busca conectar a FCA a um ecossistema de empreendedorismo e startups, para ampliar a consciência e construir estratégias de inovação com o propósito de alcançar novos mercados e modelos de negócio. Em um edital lançado recentemente, a empresa desafia startups a identificar oportunidades que vão além do carro. “A indústria automotiva está no curso de uma revolução que permitirá ressignificar o carro como uma plataforma aberta de desenvolvimento, como já acontece com os dispositivos móveis”, explica Breno Kamei.
A partir daí, as startups poderão propor projetos para novos usos das tecnologias já existentes no automóvel, como a central multimídia e câmeras, ou que envolvam novos significados aos dados capturados pelos sensores do carro. “A parceria com startups é uma forma de impulsionar inovações que vão ajudar as pessoas a resolver suas atividades cotidianas de maneira fluida. O carro conectado é o ponto de partida de novas soluções que vão viabilizar relevantes transformações na jornada do consumidor”, completa Kamei.


Publicidade