Publicidade

Estado de Minas

Ator de As aventuras de Poliana pede 'consciência' na pandemia

Murilo Cezar diz que momento também exige responsabilidade e precaução


postado em 10/05/2020 04:00

Marcelo (Murilo Cezar) é apaixonado por Luísa (Thaís Melchior) em As aventuras de Poliana, no SBT/Alterosa (foto: Lourival Ribeiro/SBT)
Marcelo (Murilo Cezar) é apaixonado por Luísa (Thaís Melchior) em As aventuras de Poliana, no SBT/Alterosa (foto: Lourival Ribeiro/SBT)

Murilo Cezar vem colhendo os frutos do trabalho como o Marcelo de As aventuras de Poliana, novela das 20h50 do SBT/Alterosa. Tanto que já se acostumou a ser chamado pelo nome do personagem pelos fãs do folhetim. Na trama de Íris Abravanel, o ator dá vida ao fotógrafo e professor de audiovisual da escola Ruth Goulart. Apaixonado por Luísa (Thaís Melchior), ele sonha com um futuro ao lado da tia de Poliana (Sophia Valverde), mas tem disputado o amor dela com Pendleton/Otto (Dalton Vigh). Na entrevista a seguir, o ator de 33 anos avalia como foi a primeira temporada de Poliana; o que espera para o triângulo amoroso formado por Marcelo, Luísa e Pendleton na segunda fase da história e que lições tirou da experiência no papel por tanto tempo. Além disso, comenta a reação do público e o que mudou na sua vida com a repercussão do trabalho. Por fim, opina sobre a decisão de o SBT paralisar as gravações em meio à pandemia de coronavírus.

Qual o balanço que você faz da primeira temporada de As aventuras de Poliana?

Uma linda história! Tantos personagens interessantes, cheios de mensagens... A primeira temporada trouxe muita alegria pra todos e, principalmente, o aprendizado de se enxergar o lado bom da vida, o jogo do contente.

Como fica o triângulo amoroso entre Marcelo, Luísa e Pendleton na segunda fase da trama?

Há um ar de incerteza que paira sobre essas relações. O que posso dizer é que tem muita coisa vindo por aí que dividirá opiniões. A torcida é para que o Marcelo tenha seus sonhos realizados. Ser pai, ter uma família grande com a Luísa e estar próximo do que ama fazer: fotografar e dar aula.

O que aprendeu com o seu personagem em Poliana?

Um olhar mais poético sobre a vida, mais amoroso, lúdico e, principalmente, senso de justiça. Nos dias de hoje, a vida nos afasta da nossa criança interior, mas com o Marcelo resgatei esses sentimentos em mim.

Poliana faz sucesso não só com as crianças, mas também com suas famílias. Como encara a recepção do público?

Essa receptividade faz parte do conjunto de alegrias dessa jornada. Como ator fico muito feliz pelo reconhecimento do trabalho, aceitação e interesse. E o que mais mudou foi que passei a responder quando me chamam de 'Marcelo' fora das câmeras (risos).

A pandemia fez as gravações da segunda fase da novela serem interrompidas. O que achou desta medida?

Foi muito prudente, tendo assegurado todos do departamento de dramaturgia e seus familiares. Tenho tomado as precauções indicadas e saído de casa somente para ir ao mercado. O momento pede consciência e responsabilidade.  (Estadão Conteúdo)


Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade