Publicidade

Estado de Minas REPORTAGEM DE CAPA

Exposição máxima (e sem culpa)

Ingrid Guimarães aposta na autoestima para interpretar a personagem que saiu do interior de Minas para ganhar a vida no Rio de Janeiro. Susana Vieira e Claudia Raia foram inspiração


postado em 11/08/2019 04:00 / atualizado em 09/08/2019 15:34

Romance entre Silvana Nolasco (Ingrid Guimarãe) e Marcos (Romulo Estrela) começou como
Romance entre Silvana Nolasco (Ingrid Guimarãe) e Marcos (Romulo Estrela) começou como "pegação", mas personagem acabou se apaixonando por ele (foto: João Cotta/Globo)

Ingrid Guimarães não economiza na pose de diva para viver Silvana Nolasco em Bom sucesso, novela das 19h da Globo. Na trama de Rosane Svartman e Paulo Halm, a personagem é uma atriz de sucesso que explora ao máximo a fama. Para isso, recursos como paparazzi e redes sociais caem como uma luva. Extravagante, a celebridade não tem pudor em se expor, o que ajuda na conquista de muitos fãs. Por conta da alta popularidade, ela recebe o convite de Marcos (Romulo Estrela) para publicar a sua biografia e, dessa forma, alavancar as vendas da editora Prado Monteiro.

"Silvana veio do interior de Minas Gerais. Pobre, os pais não deram força para ela ser atriz, fez teste do sofá. Ela assume tudo o que teve de fazer para chegar aonde está, inclusive que colocou silicone e troca tudo por post, além de marcar todo mundo na publicação. Tudo o que a gente tenta esconder, ela assume. Começa a namorar o personagem do Romulo como casinho com um cara gostoso, porque transa com vários e não tem o menor problema com isso", conta Ingrid.

Na história, o "affair" de Silvana com Marcos ganha novas proporções por ela se apaixonar por ele. Então, a atriz da novela fictícia Precipício do amor resolve forjar um noivado com o rapaz e até aparece na mansão da família Prado Monteiro para conhecer o "sogro", Alberto (Antonio Fagundes). Ela usará o convite para ter sua vida exposta na biografia como o motivo perfeito para ficar mais perto do "crush" e aparecer na mídia.

"Tenho um momento que é mais realista na novela, com um triângulo com os personagens do Romulo e da Grazi (Massafera). Com o Marcos é bem sexy, ao mesmo tempo em que eles se divertem um com o outro. Ele acha essa maluca engraçada. Não sabe nem seu nome e a confunde com a Heloísa Périssé. Aliás, a mudança foi ideia minha. No texto estava escrito Adriana Esteves, Giovanna Antonelli, mas falei para botar Heloísa Périssé, pois ia ser um piadão", comenta

Além do romance com Marcos, Silvana vai engatar um namoro falso com o ator Pablo Sanches (Rafael Infante). Como o colega de elenco de Precipício do amor é homossexual enrustido, os dois resolvem fazer um acordo para ambos se promoverem na mídia. Pela primeira vez trabalhando com o humorista, Ingrid comemora o jogo cômico em cena.

"Nunca tinha trabalhado com o Rafael Infante. Nos jogaram na avenida dois meses antes de começar a gravar a novela oficialmente para uma cena no carnaval. A gente não estava nem pronto, mas foi uma experiência incrível porque contracenar com comediante é um prazer. Tudo que eu propus, ele topou. A gente improvisa. Temos essa liberdade", ressalta.

Atriz, celebridade popular nas redes sociais, rainha de bateria, Silvana Nolasco é um acontecimento em Bom sucesso. Se não for para causar, a personagem nem sai de casa. Então, para interpretar alguém tão autoconfiante, Ingrid resolveu pedir dicas para Susana Vieira e Claudia Raia, pessoas que ela elege como divas da televisão brasileira.

"Susana é um exemplo pra mim no sentido de que é uma diva há muitos anos. Todo mundo se treme quando chega perto dela. Ela falou assim: 'Você tem que se achar a maior atriz do Brasil '. Aí, eu respondi que ia ter que fazer muita terapia (risos). Silvana é bem diferente de mim, porque só se mostra glamourosa. É por isso que fui conversar com Claudia (Raia) e disse que nunca a vi simples. Aí ela me ensinou umas poses", revela.

FORA DO PADRÃO Diferentemente de Silvana, Ingrid já sofreu com problemas de autoestima como qualquer outra pessoa. A atriz relembra a época em que veio de Goiânia para o Rio de Janeiro, aos 13 anos, e sofreu bullying no colégio por causa do sotaque. Além disso, comenta que, no início da carreira, só era chamada para interpretar papéis menores, em função de sua aparência. No entanto, conseguiu dar uma virada e provar que poderia ter uma personagem de destaque.

"Quando mudei para o Rio, me sentia a menina do interior Nunca tive padrão. Sou muito mais bonita hoje do que antes. É só olhar meus trabalhos antigos. A televisão se abriu para as comediantes. Quando que alguém como eu ia fazer o papel de uma musa gostosa naquela época? Nunca. É só você ver o Vale a pena ver de novo, em que estou servindo cafezinho em Por amor. As comediantes hoje têm grandes papeis em novelas. Mais importante do que o corpo é a atitude", acredita. (Estadão Conteúdo)
 

Como Alice, na franquia De pernas pro ar No filme Fala sério mãe, contracenou com Larissa Manoela No seriado Chapa quente, fez parceria com Leandro Hassum

 


Publicidade