Publicidade

Estado de Minas BRIGA DE GIGANTES

Ranking mostra as maiores vendas de empresas de redes sociais

Do Instagram ao Twitter, confira a lista das bilionárias compras de gigantes da tecnologia desde o início dos anos 2000


25/04/2022 18:36

foto de uma tela de celular mostrando ícones de aplicativos
(foto: Marcello Casal JR/Agência Brasil)

Depois de uma trama cheia de polêmicas e reviravoltas, o bilionário Elon Musk oficializou nesta segunda-feira (25/4) a compra do Twitter por US$ 44 bilhões, a maior aquisição de uma rede social já feita. O empreendedor mirou uma das poucas redes com maior número de acessos que não está sob o domínio Mark Zuckerberg.

O Twitter, uma das principais redes sociais em atividade, é também uma das mais antigas. Foi lançado em 2006 e atualmente tem mais de 217 milhões de usuários diários.

Até então, o programador e empresário norte-americano Zuckerberg, um dos fundadores do Facebook, era o maior comprador de redes sociais. Em 2014, ele adquiriu o WhatsApp e, em 2012, o Instagram. Recentemente seu império mudou de nome e passou a ser conhecido como Meta. 
 

Instagram

O Instagram é o atualmente o principal meio de compartilhamento de imagens e vídeos. Lançada em 2010, a rede foi comprada em 2012 pelo grupo Meta, na época ainda conhecido como Facebook, por US$ 1 bilhão. A plataforma tem aproximadamente 1.400 bilhão de usuários ativos. Hoje, o Instagram está avaliado em cerca de US$ 100 bilhões, segundo a agência Bloomberg. 
 

YouTube

Em 2006, o Google fez sua compra mais cara até então, adquirindo o site YouTube por US$ 1,65 bilhão. A rede de compartilhamento de vídeos hoje tem mais de 2 bilhões de usuários mensais. Já sua plataforma secundária, o Youtube Music, tem 50 milhões de usuários pagantes. 
 

WhatsApp

O WhatsApp surgiu em 2009 e foi comprado em 2014 pelo grupo de Mark Zuckerberg por US$ 22 bilhões. Agora, a rede de mensagens e chamadas instantâneas está disponível em 180 países, contendo aproximadamente 2 bilhões de usuários. 
 

TikTok

Em 2020, a ByteDance, dona do aplicativo TikTok, desistiu de vender suas operações para outra gigante do mercado de tecnologia, a Microsoft, depois de uma série de divergências entre o governo dos Estados Unidos e a empresa chinesa que controla a rede social.
 
Contudo, a plataforma está em ascensão, já ultrapassou a marca de 1 bilhão de usuários.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade