Publicidade

Estado de Minas

Meteoros iluminam a noite em Minas e fotógrafo registra o fenômeno

Chuva de meteoros Perseidas acontece entre os meses de julho e agosto, quando a Terra passa pelas partículas do cometa Swift-Tuttle


postado em 12/08/2016 09:47 / atualizado em 12/08/2016 10:03

(foto: Vinício Pissá)
(foto: Vinício Pissá)

A chuva de meteoros Perseidas, que ocorreu nessa madrugada, encantou quem enfrentou o frio e o sono para assistir ao espetáculo.

Em Belo Horizonte, com o ar poluído e muitas nuvens, o céu não ajudou. Mas quem procurou locais no interior se deu bem.

Segundo o professor Renato Las Casas, da UFMG, ''foi lindo''. Ele passou a noite no observatório da universidade localizado na Serra da Piedade, a 60 quilômetros de BH, acompanhado por outros astrônomos.

''O período entre 3 e 4 horas da manhã foi o de maior intensidade. Foi possível ver mais de cinquenta meteoros'', diz o professor Las Casas.

O fenômeno ocorre uma vez por ano, entre os meses de julho e agosto, quando o planeta Terra cruza com as partículas deixadas pelo cometa Swift-Tuttle.

 Esforço recompensado

Para conseguir captar a imagem do meteoro, fotógrafo usou longa exposição, como nesta foto dele com uma lanterna de LED(foto: Vinício Pissá)
Para conseguir captar a imagem do meteoro, fotógrafo usou longa exposição, como nesta foto dele com uma lanterna de LED (foto: Vinício Pissá)

O fotógrafo Vinício Pissá, nascido em Arcos, mas que mora em Iguatama, a 267 quilômetros da Capital, encarou um frio de 5 graus na zona rural para captar imagens dos meteoros. Ele ficou em uma fazenda distante do centro, em uma região muito escura, o que facilitou a visualização das ''estrelas cadentes''.

Mas não foi fácil. "De todas as vezes em que saí para fazer fotos noturnas, essa foi a noite mais gelada. Usei três blusas grossas, capuz e luvas, mas fiquei com as mãos e pernas dormentes".

O sacrifício parece ter valido a pena.

Pissá conta que o céu estava muito limpo e foi possível ver centenas de meteoros. Entretanto, ''as aparições eram rápidas e com intensidade de luz pequena. As fotos não estavam ficando boas''.

Mas o fotógrafo não desistiu.

Já perto do fim da manhã três meteoros cruzaram o céu brilhando e então veio o registro que queria. "Usei longa exposição e consegui a foto do meteoro, passando quase em paralelo com a linha do horizonte''

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade