Publicidade

Estado de Minas

Pode add sem scrap: Orkuti ressuscita rede social favorita dos brasileiros

Versão genérica criada por capixaba surgiu depois de Google encerrar atividades do Orkut, em setembro


postado em 21/01/2015 16:59

Para matar saudade dos órfãos de Orkut, site de capixaba resgata rede social das comunidades(foto: Orkuti.net/Reprodução)
Para matar saudade dos órfãos de Orkut, site de capixaba resgata rede social das comunidades (foto: Orkuti.net/Reprodução)
Ainda não se passaram seis meses desde o fim do Orkut e usuários órfãos da rede social que marcou a entrada do Brasil no mundo virtual — com dois pés na porta, aliás — podem matar as saudades em uma versão genérica, fiel à original: o Orkuti. Criado pelo capixaba Alex Becher, o site mantém todas as propriedades da matriz e reproduz a aparência mais recente da rede, como ela era apresentada até ser retirada do ar pelo Google em setembro do ano passado. A cópia brasileira entrou no ar justamente no dia em que o Orkut 'morreu'. A intenção era "recriar a rede social que iniciou uma nova era para os relacionamentos", como explica Becher em comunicado oficial da página.

Para aderir ao Orkuti não é preciso receber convite ou deixar scrap: basta preencher um cadastro simples, que inclui a opção de usar dados do Facebook. "Sabemos que algumas funcionalidades estão inacabadas, mas pedimos a compreensão pois o Orkuti não tem a estrutura que um Facebook tem", enfatiza o criador. Em cinco meses o site chegou a 118 mil inscritos, número que deve aumentar bastante com a redescoberta da rede social tupiniquim por usuários de Twitter. No começo desta semana, o trabalho de Alex voltou a ser comentado, tornando-se assunto de destaque nas timelines nacionais. A quem chega agora, o programador já avisa: "temos o desejo de crescer e fazer o melhor para sermos 'a rede social do Brasil'".

Formado em tecnologia de programação, ele dedicou-se por três meses à criação do Orkuti, desde que ficou sabendo da morte anunciada de seu site favorito. A homenagem, Becher explica, pretende manter "a essência nostálgica daquele ambiente onde as pessoas podiam, em sua simplicidade, interagirem".

 

O nome da rede substituta é uma homenagem à pronúncia dos usuários brasileiros, que no auge do Orkut chegaram a somar 70% dos 30 milhões de usuários; "Naquela época se fala aqui no Brasil 'Orkuti', dando ênfase ao 'i'", relembra o programador.

Na versão de Alex, fãs do Orkut podem desfrutar de todas as ferramentas peculiares da rede — depoimentos, comunidades —, somadas às inovações derivadas da expansão do Facebook. Estão lá como novidades, por exemplo, as hashtags e o modelo de perfil em linha do tempo, atrativos que levaram usuários da obra de Orkut Büyükkökten à migração em massa para o site de Mark Zuckerberg a partir de 2011. Opções de privacidade também foram melhoradas, com possibilidade de restringir a leitura de todas as postagens — o que põe fim ao divertido fenômeno de depoimentos publicados por acidente (não aceita!).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade