Publicidade

Estado de Minas Marca expressiva

Rafael Cabral supera série invicta de Dida

Ao atingir sete jogos sem sofrer gols, diante do Criciúma, goleiro superou série de Dida, em sequência de 1997


29/05/2022 04:00 - atualizado 29/05/2022 14:45

Rafael Cabral, do Cruzeiro
Mesmo com poucos meses de clube, o goleiro Rafael Cabral conseguiu um grande feito, ao atingir sete partidas sem sofrer gols em 2022 (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

O goleiro Rafael Cabral atingiu uma marca expressiva no Cruzeiro com a vitória por 1 a 0 diante do Criciúma, no Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma-SC, pela 9ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Ao atingir sete jogos sem sofrer gols nesta temporada, o goleiro superou a série invicta de Dida na meta cruzeirense, em 1997.

O último gol sofrido pelo arqueiro celeste aconteceu em 23 de abril, no empate por 1 a 1 com o Tombense, no estádio Soares de Azevedo, em Muriaé, Zona da Mata mineira, pela terceira rodada da Série B. Desde então, ele passou ileso em seis jogos pela Série B e um pela Copa do Brasil.

Como não levou gol novamente, Rafael Cabral superou Dida. Em 1997, o então goleiro cruzeirense ficou seis partidas sem sofrer gols em cinco duelos pelo Brasileirão e um pela extinta Supercopa dos Campeões da Libertadores. Cabral já havia feito história no último domingo, ao terminar a partida contra o Sampaio Corrêa (2 a 0), no Mineirão, em Belo Horizonte, sem ser vazado.

O desempenho alcançado por Rafael Cabral é relevante, não só pela sequência de jogos sem levar gols, mas também por superar grandes ídolos do gol cruzeirense. Além de Dida, que defendeu o clube de 1994 a 1998, totalizando 304 partidas, Cabral supera também o goleiro Fábio. O atual goleiro do Fluminense é o jogador que mais vezes vestiu a camisa da Raposa, 976 partidas. Fábio conseguiu duas séries invictas de cinco jogos: em 2012 e 2019.

Zaga desfalcada contra Operário-PR


A defesa do Cruzeiro terá desfalques na partida diante do Operário-PR, na próxima sexta-feira, às 21h30, em Ponta Grossa-PR. Geovane Jesus e Lucas Oliveira receberam o terceiro cartão amarelo na vitória por 1 a 0 contra o Criciúma e cumprirão suspensão diante do Operário-PR. Oliveira foi punido pela arbitragem logo aos 9min do primeiro tempo por fazer falta em Marquinhos Gabriel e evitar ataque do Criciúma. Ele havia sido advertido nas vitórias diante de Brusque e Náutico. Já Geovane levou amarelo por ter parado um contra-ataque adversário.

Na vitória contra o Criciúma, a zaga celeste já foi modificada por conta da ausência do titular Zé Ivaldo, suspenso. Em seu lugar atuou Geovane Jesus, que formou trio com Oliveira e Eduardo Brock. Diante do Operário-PR, Paulo Pezzolano deverá escalar a zaga com Brock, Zé Ivaldo e Pedrão ou Rômulo. Há, ainda, a possibilidade de o treinador modificar o sistema e atuar com dois zagueiros.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade