Publicidade

Estado de Minas Série B

Com Fábio expulso, Cruzeiro segura o Náutico e empata jogo pela Série B

Mineiros jogaram com um atleta a menos por quase toda a partida


25/01/2021 04:00 - atualizado 25/01/2021 09:47

Com um a menos durante a maior parte do jogo, time celeste não mostrou força ofensiva para balançar a rede no Independência(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Com um a menos durante a maior parte do jogo, time celeste não mostrou força ofensiva para balançar a rede no Independência (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

Em jogo para cumprir tabela, o Cruzeiro empatou com o Náutico por 0 a 0 ontem, no Independência, pela penúltima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O time celeste atuou com um jogador a menos desde os 9min do primeiro tempo, quando o goleiro Fábio foi expulso por colocar a mão na bola fora da área. O resultado em si pouco muda a situação da Raposa, agora na 12ª colocação, sem chances de acesso ou risco de rebaixamento para a Série C. Já o Náutico garantiu sua permanência na Segunda Divisão.

Na última rodada, a equipe mineira vai até Curitiba para visitar o Paraná, em duelo marcado para as 21h30 de sexta-feira. Além de Fábio, o técnico Luiz Felipe Scolari não vai poder escalar o zagueiro Ramon e o atacante Airton, que levaram o terceiro amarelo. Por outro lado, o volante Filipe Machado, que ontem cumpriu suspensão automática, deve recuperar a vaga de titular.

O treinador elogiou seus jogadores pela atuação diante do Náutico, exaltando o posicionamento e o vigor físico para compensar a inferioridade numérica desde os primeiros minutos de partida. “Fiquei feliz com o desempenho dos meus jogadores. Parte física, parte técnica, posicionamento. Estou contente com o jogo de hoje (ontem). Com todos os jogos que fizemos. Fizemos bons jogos e outros não bons, mas temos que saber relevar até onde poderíamos chegar mesmo”, disse.

Ele voltou a fazer mistério sobre seu futuro. Questionado se há alguma definição ou mesmo alguma reunião marcada com a direção do Cruzeiro, o treinador disse que não há nada para dizer neste momento: “Não dá (para falar sobre o futuro). É um assunto que resolvo com o presidente. Quando eu entender que seja o local e o horário necessário. Quando tiver algo, comunico a vocês. Se teve reunião, se não teve. Não tenho nada para comunicar definitivamente”.

Em entrevista na sexta-feira, Felipão já havia afirmado que avaliará outros convites para tomar a decisão sobre a sequência de sua carreira. “Vou pensar numa situação se saio ou se fico, dependendo de uma ou outra situação de convite, porque o primeiro trabalho, o trabalho que foi idealizado por mim e pelo Cruzeiro, foi que, nesses três meses, saíssemos da dificuldade maior, para uma dificuldade média, e aí tanto o Cruzeiro como eu seguiríamos suas vidas”, complementou.

Apesar do discurso do treinador, o projeto inicial não era esse. Em outubro de 2020, quando foi anunciado pelo Cruzeiro, ele e o presidente Sérgio Santos Rodrigues apareceram em um vídeo, gravado em Porto Alegre, dizendo que o projeto era de longo prazo. Nesses três meses, no entanto, a relação se desgastou por promessas não cumpridas.

Em 15 de dezembro, o jornal El Mercúrio, do Chile, apontou que Felipão estava cotado para assumir a Seleção Chilena – ocuparia a vaga deixada por Reinaldo Rueda, que acertou transferência para a Colômbia.

AVALIÇÃO Um dos líderes do atual grupo do Cruzeiro, o zagueiro Manoel deu sua opinião sobre a formação da equipe para o restante do ano. Ele espera pela chegada de jogadores experientes para a disputa, mais uma vez, da Segunda Divisão: “A gente achou que seria muito fácil subir, mas sabemos que a Série B é muito difícil. Para esta próxima temporada, a gente precisa de jogadores experientes para poder ajudar a equipe, que está basicamente montada. Temos que tentar também que todos permaneçam, para que o grupo fique mais forte”.

O clube terá de se reinventar para a montagem do grupo, visto que as finanças ficarão mais comprometidas em razão da permanência na Segunda Divisão. Se em 2020 ainda houve um resquício de receitas da Série A, em 2021 a fonte secou. Com gasto médio de R$ 6,5 milhões no departamento de futebol profissional, o Cruzeiro tentará reduzir os valores, sem abrir mão de reforços qualificados.


CRUZEIRO 0 X 0 NÁUTICO

Cruzeiro
Fábio; Cáceres, Manoel, Ramon e Matheus Pereira; Adriano e Jadson; Airton (Patrick Brey 31 do 2º), Giovanni (Welinton 23 do 2º) e William Pottker; Rafael Sobis (Vitor Eudes 11 do 1º)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Náutico
Anderson; Hereda (Kevin, intervalo), Camutanga, Rafael Ribeiro e Bryan; Rhaldney, Djavan (Jhonnatan 15 do 2º) e Jean Carlos; Erick (Jorge Henrique 21 do 2º), Vinícius (Dadá 15 do 2º) e Kieza
Técnico: Hélio dos Anjos.

37ª rodada da Série B do Brasileiro
Estádio: Independência
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Herman Brumel Vani (SP)
Cartão amarelo: Adriano, Airton, Ramon, William Pottker, Luiz Felipe Scolari, Kieza e Erick
Cartão vermelho: Fábio
Próximo jogo: Paraná (f)


(foto: Cruzeiro/Divulgação)
(foto: Cruzeiro/Divulgação)


enquanto isso...
..escudo sem tríplice coroa


O Cruzeiro divulgou, ontem, uma atualização no escudo e o novo manual de identidade visual do clube. As principais alterações foram a mudança na tonalidade de azul e a retirada da Tríplice Coroa. De acordo com o vice-presidente executivo e superintendente de Marketing celeste, Edson Potsch, as mudanças feitas ao longo dos anos fizeram com que a marca do clube fosse utilizada em desacordo com o estatuto. “Havia vários erros de aplicações não previstas por veículos da mídia e até dentro do clube, como as camisas de goleiro no ano passado. Ao longo do ano, vamos usar a logo comemorativa do centenário como base da nossa comunicação, mas a correção e ampliação das possibilidades da nossa marca permitirão maior visibilidade e padronização”, disse.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade