Publicidade

Estado de Minas ADEUS A MARADONA

MAGO DA BOLA

Maior ídolo do futebol argentino, Diego Maradona morreu aos 60 anos, em casa, depois de sofrer parada cardiorrespiratória. Perda do craque causa grande comoção no país


26/11/2020 04:00 - atualizado 26/11/2020 01:07

Argentina x Inglaterra, Copa de 1986: Maradona fez um gol de mão e outro considerado o mais bonito de todos os Mundiais(foto: fotos afp)
Argentina x Inglaterra, Copa de 1986: Maradona fez um gol de mão e outro considerado o mais bonito de todos os Mundiais (foto: fotos afp)


Ícone do futebol mundial, o astro argentino Diego Armando Maradona morreu aos 60 anos, ao sofrer parada cardiorrespiratória. Ele estava em casa no bairro de San Andrés, em Tigre, na província de Buenos Aires, quando passou mal, sem assistência médica e não resistiu. A perda do craque causou grande comoção na Argentina e repercussão mundial. O presidente Alberto Fernández decretou luto oficial de três dias no país, que acompanhará o velório na Casa Rosada, sede do governo, a partir de hoje. A data do sepultamento ainda não foi definida.

No último dia 11, Maradona deixou o hospital onde havia sido submetido a uma cirurgia na cabeça por causa de um hematoma subdural. Ele havia sido hospitalizado, inicialmente, devido a uma "baixa anímica, anemia e desidratação". O advogado dele, Matías Morla, considerou um "milagre" que os médicos tivessem diagnosticado o hematoma na cabeça, "que poderia ter lhe tirado a vida".

Maradona tinha longo histórico de problemas de saúde. Durante a carreira, enfrentou dificuldade para emagrecer e ficou viciado em cocaína. Quando se aposentou, a situação piorou, inclusive, com várias internações. Em janeiro de 2000, sofreu uma overdose de cocaína, com crise de hipertensão, e foi levado às pressas a um hospital. Chegou a se mudar para Cuba, onde conseguiu se afastar temporariamente das drogas. Em 2004, Maradona ficou em coma com problemas cardíacos e respiratórios. Em março de 2005, fez cirurgia bariátrica para emagrecer e melhorou a saúde.

Em 2007, parou de ingerir bebida alcoólica e interrompeu novamente o uso de drogas. Neste período, assumiu a Seleção Argentina, da qual foi treinador na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Nos últimos anos, enfrentou problemas no joelho e no estômago. Maradona era o atual técnico do clube Gimnasia y Esgrima La Plata, mas foi obrigado a deixar o comando da equipe nas mãos de seus assistentes há algumas semanas devido aos problemas de saúde.

Gol polêmico na copa de 1986

Maradona participou de quatro Copas do Mundo com a Seleção Argentina: 1982, 1986, 1990 e 1994. Comandou em campo a equipe na última conquista alviceleste no Mundial de 1986. O camisa 10 da Seleção Argentina foi eleito o melhor jogador do Mundial disputado no México. Nas quartas de final, Maradona marcou os famosos gols 'La Mano de Dios' e ainda o que ficou conhecido como 'O gol do século', no qual dribla seis jogadores ingleses até tocar a bola para o gol vazio.
 
O beijo na taça da primeira Copa conquistada pela Argentina, em 1986, e a entrega do prêmio de melhor jogador do mundo
O beijo na taça da primeira Copa conquistada pela Argentina, em 1986, e a entrega do prêmio de melhor jogador do mundo
 
É considerado o maior ídolo do futebol argentino. Começou a carreira no Argentinos Juniors. Chamou atenção e assinou com o Boca Juniors, seu clube de coração. Depois da Copa de 1982, foi vendido ao Barcelona, clube no qual ganhou a Copa do Rei (1983), a Copa da Liga Espanhola (1983) e a Supercopa da Espanha (1983). Transferiu-se para o Napoli. Tornou-se o maior jogador da história do clube italiano, conquistando a Copa da UEFA (1989), o Campeonato Italiano (1987 e 1990), a Copa da Itália (1987) e a Supercopa da Itália (1990). Voltou à Argentina e encerrou a carreira no Boca em 1997.

MOMENTOS GENIAIS E POLÊMICOS

LA MANO DE DIÓS 
Mesmo no auge de sua carreira, Maradona não se afastou da polêmica. No jogo contra a Inglaterra, nas quartas de finais da Copa do México, o craque disputou a bola dentro da área com o goleiro Peter Shilton. Mesmo tendo apenas 1,65m, conseguiu "cabecear" a bola antes de o goleiro a pegar com as mãos. No replay, um gesto feito com a mão indicava um gol irregular que o juiz não percebeu. Perguntado se havia trapaceado, Maradona respondeu: Marquei (o gol) um pouco com a cabeça e um pouco com a mão de Deus". O gol virou tema até de filme.

ÁGUA BATIZADA PARA OS BRASILEIROS
Em 1990, a Argentina eliminou o Brasil da Copa da Itália. Aos 39 minutos do primeiro tempo, a equipe médica argentina entrou em campo para atender um jogador contundido e o lateral esquerdo do Brasil, Branco, pede um pouco de água. Mais tarde, Maradona disse que mandou o massagista dar água "batizada" com algum produto para reduzir o desempenho dos brasileiros. Em entrevista, disse: "Blanco ficou blanquito". A história acabou desmentida por Claudio Caniggia, colega de seleção de Maradona, anos depois: “Não acreditem no Maradona”, disse, rindo, em 2008.

CRÍTICAS CONSTANTES À FIFA
Maradona foi um dos maiores críticos à entidade máxima do futebol internacional, a Fifa, especialmente ao brasileiro João Havelange, que comandou a federação no auge de sua carreira. Em uma entrevista ao jornal Marca, em 2016, resumiu sua opinião: “Há uma máfia, Se você não paga um agente, não entra”.

IDAS E VINDAS COM PELÉ
A polêmica entre quem foi o melhor, Maradona e Pelé, sempre existirá. Os dois nunca se encontraram em campo, mas, fora dele, se enfrentaram, fizeram amizade, competiram e se reconciliaram. Em 2005, Maradona teve Pelé como o primeiro convidado especial de seu programa de TV La Noche del 10. Mesmo assim, continuou com frases espirituosas contra seu rival histórico. "Não gosto das comparações com Pelé por causa das bobagens que ele fala. Ele fica falando bobagens quando toma a pílula errada", disse, depois de Pelé considerar Neymar melhor do que Lionel Messi. A reconciliação só veio em 2016. "Chega de brigas", declarou Maradona quando eles se encontraram em Paris para uma "festa pela paz" organizada por uma marca de relógios. "Agora estamos de mãos dadas", respondeu Pelé de braço dado com o argentino. Em 23 de outubro passado, Maradona deu os parabéns a Pelé. "Quero me juntar a esta homenagem universal, feliz 80 anos de vida, Rei Pelé!", escreveu no Facebook. Pelé retribuiu no dia 30, quando Maradona fez 60 anos, e publicou foto de ambos antes da final do Copa de 1990, na Itália com a seguinte legenda: "Meu grande amigo, eu vou sempre te aplaudir. Eu vou sempre torcer por você. Que a sua jornada seja longa e que você continue sempre sorrindo, e me fazendo sorrir também!"

USO DE COCAÍNA E ÁLCOOL 
Maradona lutou, principalmente no fim da vida, contra a dependência de álcool e cocaína, tendo diversos problemas de saúde e internações devido ao uso abusivo. Em entrevistas chegou a chorar ao falar da relação com a família sobre sua dependência química.

SOBRE A PRÓPRIA MORTE
No programa La Noche del 10, Maradona declarou o que escreveria em sua lápide, há 15 anos. “Envelhecer com meus netos já seria uma morte tranquila.” Questionado sobre o que diria a si próprio no cemitério, afirmou: “Obrigado por ter jogado futebol, porque é o esporte que mais me deu alegria, liberdade. É como tocar o céu com as mãos. Obrigado à bola. Sim, colocaria uma lápide: ‘Obrigado à bola’”.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade