Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Paraguai conta com seus 'brasileiros'


postado em 27/06/2019 04:06

O santista Derlis González é um dos destaques do Paraguai(foto: Juan Mabromata/AFP)
O santista Derlis González é um dos destaques do Paraguai (foto: Juan Mabromata/AFP)


Ainda sem vencer na Copa América, o Paraguai apostará no talento dos atletas que atuam no futebol brasileiro para derrubar o Brasil e chegar às semifinais. Apesar do desempenho pouco expressivo na fase inicial da competição, o time dirigido pelo argentino Eduardo Berrizo teve como destaques o goleiro Gatito Fernández, do Botafogo; o zagueiro Gustavo Gómez, do Palmeiras; e o atacante Derlis González, do Santos. A expectativa é que a força do trio – somada também ao talento do também atacante Almirón, que joga no Newcastle – possa fazer a diferença na busca pela classificação.

As boas apresentações pelo Botafogo ajudaram Gatito  ganhar a posição do experiente goleiro Antony Silva, de 35 anos. O jogador tem sido elogiado por se agigantar nos momentos decisivos e ser bom pegador de pênaltis. Já Gustavo Gómez e Derlis representam a tentativa de gradativa renovação na seleção, tirando de cena os jogadores mais rodados.

Ex-assistente de Marcelo Bielsa na Seleção Chilena, Eduardo Berrizo obteve apenas uma vitória desde que assumiu os paraguaios, em fevereiro – venceu amistoso contra a Guatemala por 2 a 0, no início deste mês. Além de levar a seleção guarani a uma campanha de destaque na Copa América, o objetivo do treinador é ajudar o país a voltar a uma Copa do Mundo, o que não ocorre desde 2010, na África do Sul. Mas a missão não será fácil, tendo em vista que a equipe apenas inicia um processo de renovação.

Por causa dos fracassos anteriores, o Paraguai tem sofrido pressão da imprensa local. A comissão técnica vem blindando os jogadores, evitando que eles apareçam com frequência na mídia. A relação com os torcedores no dia a dia também tem sido fria. Em Porto Alegre, os jogadores mantiveram o silêncio na chegada ao hotel da delegação.

Mesmo que o favoritismo esteja do lado dos brasileiros, Berrizo entende que o Paraguai não abrirá mão de atacar na Arena Grêmio: “Acho que precisamos administrar a bola com mais eficácia, tentar estabelecer posições para construir o resultado. Talvez tenhamos mostrado dificuldade para manter a posse nesta competição. Eu insistirei nessa ideia de manter a posse e jogar melhor. Há coisas boas e ruins que fizemos nos três primeiros jogos. Mas o segredo é evoluir a cada partida”.



Publicidade