Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Muito trabalho pela frente


postado em 27/06/2019 04:05

Estrangeiros em busca de espaço: o venezuelano Otero, o uruguaio Hernández e o paraguaio Martínez terão que brigar muito para conseguir vaga no time titular atleticano(foto: Fotos: Bruno Cantini/Atlético)
Estrangeiros em busca de espaço: o venezuelano Otero, o uruguaio Hernández e o paraguaio Martínez terão que brigar muito para conseguir vaga no time titular atleticano (foto: Fotos: Bruno Cantini/Atlético)
 

 
O Atlético se reforçou pontualmente durante a pausa para a Copa América no Brasil, mas a tendência é de que os novatos demorem algum tempo a mais para conquistar o espaço no time de Rodrigo Santana. Com jogos decisivos pela Copa do Brasil – enfrentará o Cruzeiro, pelas quartas de final –, Copa Sul-Americana e Brasileiro, o treinador deve apostar na base que vinha atuando recentemente, até para aproveitar o entrosamento dos atletas e o próprio acerto da equipe, que atingiu os objetivos propostos pelos dirigentes no primeiro semestre.

O clube apresentou ontem à tarde o volante paraguaio Ramón Martínez, de 23 anos, que assinou contrato até dezembro de 2022. O alvinegro também contratou o lateral-esquerdo uruguaio Lucas Hernández e teve o retorno do venezuelano Otero, que estava emprestado ao Al-Wheda, dos Emirados Árabes. A diretoria admite que ainda procura um jogador que atue centralizado no meio-campo para servir de concorrência para o armador Cazares.

Ex-Guaraní-PAR, Martínez disputará posição com Adilson e Zé Welison, que já estão no clube há mais tempo. Além de precisar de uns dias para se adequar fisicamente, o jogador terá que se adaptar ao estilo do futebol brasileiro, o que naturalmente adiaria sua entrada na equipe. “Chego em um grupo muito humilde, com atletas que são bons e me receberam muito bem. Sei que venho para ajudar. Aqui há jogadores capacitados, que venceram a Libertadores. Venho para aprender, para somar. Quero ter minutos em campo para mostrar meu nome e ganhar a vaga no Galo”, afirma o volante.

Ele reitera que chega para ser um cão de guarda da defesa, característica que o torcedor normalmente gosta: “Gosto de atuar à frente dos defensores, proteger a meta e recuperar a bola. Quero mostrar a raça paraguaia. Dependendo do jogo, posso atuar mais à frente, pois tenho qualidade para isso”.

EM SEGUNDO PLANO Nem mesmo Otero, que já tem história ligada ao Atlético, teria vaga assegurada no time titular que vai encarar o Cruzeiro dia 10, no Mineirão, pela Copa do Brasil. Ele admite que está em segundo plano no atual grupo e que retorna a Minas para levar o Atlético à galeria dos troféus. “Ganhei uma experiência importante na minha vida, na minha carreira. E estou aqui para somar e ajudar o clube a conquistar títulos. Venho para trabalhar, com humildade, como sempre fiz, assim vai continuar sendo o meu trabalho”.

Na Arábia Saudita, Otero atuou 26 vezes e marcou seis gols. No Atlético, equipe que defendeu entre 2016 e 2018, ele disputou 101 jogos e anotou 21 gols. O seu contrato expira em dezembro de 2020.


Publicidade