Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mais que soberano


postado em 10/06/2019 04:07

O espanhol Rafael Nadal bateu Thiem e chegou a seu 12º título em Roland Garros(foto: MARTIN BUREAU/AFP)
O espanhol Rafael Nadal bateu Thiem e chegou a seu 12º título em Roland Garros (foto: MARTIN BUREAU/AFP)


Rafael Nadal escreveu ontem novo capítulo da mais vitoriosa relação entre um tenista e um torneio na história. Rei do Saibro, o espanhol chegou à incrível marca de 12 títulos do Aberto da França, segundo Grand Slam da temporada, disputado em Roland Garros, em Paris. O 12º troféu veio com vitória sobre o austríaco Dominic Thiem por 3 a 1 (6-3, 5-7, 6-1 e 6-1).

Nadal chegou ao 18º título de slam – os quatro maiores torneios do tênis – e está atrás apenas de Roger Federer, que tem 20 troféus. Além dos 12 campeonatos na França, o espanhol venceu também uma vez na Austrália, duas em Wimbledon e três nos Estados Unidos. Com o resultado de ontem, Nadal se tornou o maior vencedor de um mesmo Grand Slam, superando os 11 troféus da australiana Margareth Court no Aberto da Austrália, nas décadas de 1960 e 1970, na transição do amadorismo para a era aberta.

Em seu discurso da vitória, Nadal ressaltou a luta de Thiem, um dos mais promissores tenistas da nova geração. “(Dominic) é uma inspiração para mim e para tantas crianças. Eu sei o quão duro é perder finais. Assim é o esporte. Se eu tivesse que perder para alguém, que fosse para você. Ter esse troféu aqui comigo é incrível”, disse.

Nadal tem o recorde de 93 vitórias e apenas duas derrotas desde que estreou no saibro francês, em 2005. Os dois únicos reveses foram em 2009, para o sueco Robin Soderling, e em 2015, para Novak Djokovic. Em 2016, desistiu da competição após a segunda rodada por causa de lesão. A partir de sua estreia no saibro francês, há 15 edições, apenas outros três tenistas ergueram o troféu: Roger Federer (2009), Stanislas Wawrinka (2015) e Novak Djokovic (2016). Com a vitória em Paris, Rafael Nadal assume a liderança da corrida dos campeões – que conta os pontos somados apenas em 2019. Com 2 mil pontos de Roland Garros, ele soma 5.505 no ano, contra 4.725 de Novak Djokovic. Roger Federer vem atrás, com 3.360. Mesmo com a derrota na semifinal para Thiem, Djokovic segue com folga na liderança do ranking da ATP.


Publicidade