Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

De volta ao topo

Liverpool derrota o Tottenham por 2 a 0 em Madri e, depois de 14 anos, conquista novamente a mais importante competição de clubes do planeta


postado em 02/06/2019 04:09

Após mais uma grande atuação com a camisa dos Reds, goleiro Alisson ergue a taça e comemora o hexacampeonato do clube inglês no torneio(foto: PAUL ELLIS/AFP)
Após mais uma grande atuação com a camisa dos Reds, goleiro Alisson ergue a taça e comemora o hexacampeonato do clube inglês no torneio (foto: PAUL ELLIS/AFP)

Quatorze anos se passaram desde o chamado “Milagre de Istambul”, quando o Liverpool impediu uma derrota que parecia inevitável diante do Milan, levando uma partida em que saiu para o intervalo perdendo por 3 a 0 para os pênaltis e ficando com o título continental. Ontem, em Madri, os Reds reconquistaram a Europa – e sem o mesmo drama. Na segunda final inglesa da história da Liga dos Campeões, a equipe comandada por Jürgen Klopp garantiu ao clube a sexta taça da competição na história, batendo os estreantes do Tottenham por 2 a 0.

O maior campeão inglês do torneio é, agora, o terceiro maior da história, atrás somente do recordista Real Madrid, com 13 troféus, e do Milan, com sete. O título, que escapou na decisão da temporada passada contra o Real Madrid, desta vez ficará em Anfield Road, consagrando ainda os brasileiros Alisson, Fabinho e Roberto Firmino, titulares absolutos de uma campanha que teve muita emoção em seu percurso, especialmente na virada contra o Barcelona, nas semifinais. Ontem, porém, o que a multidão de vermelho que foi ao Wanda Metropolitano viu foi a confirmação da força de uma defesa poderosa, comandada pelo holandês Virgil van Dijk, e de um ataque sempre marcou nas horas certas.

Um gol no início e outro no apagar das luzes levou Klopp e companhia à glória. O caminho do título começou pelos pés do astro egípcio Salah, convertendo pênalti polêmico marcado logo no primeiro minuto da partida. A arbitragem assinalou mão de Sissoko e confirmou depois de acionar o VAR. No fim, aos 42, Origi decretou a vitória.

DECISIVO O zagueiro Van Dijk foi eleito melhor em campo pelos organizadores da decisão, mas o prêmio poderia muito bem ficar nas mãos do goleiro Alisson, um dos heróis do Liverpool na conquista da Liga dos Campeões. Ele foi mais uma vez decisivo na final, com pelo menos seis defesas. Ao apito final, foi cumprimentado pelos companheiros e comissão técnica.

“Uma grande luta. O Tottenham foi adversário muito forte. Não jogamos nosso melhor futebol, mas os dois times lutaram. Nosso goleiro fez defesas difíceis parecerem fáceis. Graças a Deus, são meus jogadores. Hoje (ontem) vamos ter a melhor noite da vida”, disse Klopp. Protagonista na Europa, Alisson agora se integrará, ao lado do companheiro de time Firmino, à Seleção Brasileira para a Copa América no Brasil.


Publicidade