Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Coimbra coroa o acesso com a taça


postado em 12/05/2019 05:05

Time de Contagem venceu o Uberlândia, em Sete Lagoas, e comemorou o título da Segunda Divisão do Mineiro(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Time de Contagem venceu o Uberlândia, em Sete Lagoas, e comemorou o título da Segunda Divisão do Mineiro (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

“Ei, você aí, avisa à Primeira que o Coimbra vem aí”. O grito ensaiado pelos torcedores que foram à Arena do Jacaré ontem à tarde mostra o roteiro de sucesso do Coimbra em pouco menos de um ano. O investimento falou mais alto que a tradição no duelo com o Uberlândia, na decisão do Módulo II do Campeonato Mineiro de 2019. A vitória por 1 a 0, em Sete Lagoas, gol de pênalti do atacante Bruno Mineiro, coroou mais um feito do time de Contagem, que já havia conquistado o acesso à elite para 2020 e vencido a Terceira Divisão no ano passado.

O Uberlândia também jogará a Primeira Divisão do Mineiro no ano que vem. Como uma das forças do interior, o clube esperava levar vantagem justamente pela tradição no estado – venceu a Série B do Campeonato Brasileiro em 1984 e foi campeão mineiro do interior cinco vezes. Mas a equipe treinada pelo experiente Ademir Fonseca, de 53 anos, não foi páreo para um adversário superior em toda a competição e que também se mostrou mais forte nas finais.

O confronto em si foi de poucas emoções. Nas arquibancadas, a torcida do Coimbra não parou de cantar em momento algum. Criada no ano passado, a organizada leva pelo menos 100 integrantes aos jogos – o número de associados é de 250. Havia cinco integrantes da torcida do Uberlândia do outro lado. Em tempos de espetacularização do futebol nacional, as partidas entre equipes de menor expressão ganham caráter de festa. É a oportunidade para o torcedor comum, aquele que não vai com frequência às partidas, fazer o que não é comum em duelos da elite: beber cerveja sem complicações, ficar próximo ao alambrado e falar com os jogadores do banco de reservas e até mesmo xingar o árbitro sem ser importunado.

Quem esteve em Sete Lagoas foi a família de Bruno Mineiro, o herói da tarde. “Eles sempre me dão força para que eu possa mostrar o melhor futebol. Conquistamos um título invicto, dentro de um projeto que já nasceu grande e tem tudo para dar certo”, disse o atacante. O cunhado do jogador, Fabiano Andran, de 37, era um dos mais animados. Ele vê grande identificação entre Bruno Mineiro e o Coimbra: “Ele criou um vínculo com o time, foi artilheiro e é o capitão. É um projeto que já deu certo”.

PLANOS Fundado em 1986 e reativado há 10 anos, o Coimbra conta com suporte financeiro do Banco BMG. Apontado como um “time de empresário”, o que é mais comum no interior de São Paulo, tem por objetivo revelar atletas para vendê-los. Hoje, o clube tem categoria de base e muitos pratas da casa na equipe principal. “O planejamento faz toda a diferença. Contamos com um bom centro de treinamento e uma comissão técnica competente”, afirma o presidente Marcus Vinícius Fernandes.

O Coimbra projeta se tornar uma força no futebol mineiro a longo prazo. Tem um centro de treinamento muito bem equipado em Contagem, de nível superior ao de muitas equipes de Minas Gerais. Ex-Atlético, o técnico Diogo Giacomini está em sua segunda temporada no comando do time. Além de Bruno Mineiro, o goleiro Glaycon e o volante Dudu Pitbull (ambos ex-América) são os atletas mais conhecidos do grupo. (RD)


Publicidade