Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Um jogaço na abertura do Brasileirão

"O Cruzeiro perdeu sua invencibilidade na temporada, mas não me deixou nem um pouco preocupado%u201D


postado em 29/04/2019 05:07

Não pude escrever a coluna de ontem, e achei que não conseguiria fazer a de hoje também, pois fiz uma cirurgia nos olhos e somente agora consigo enxergar melhor. Consegui assistir a partida, com um pouco de dificuldade, mas percebi um jogaço. Por isso, vou falar da vitória do Flamengo por 3 a 1 sobre Cruzeiro, sábado, no Maracanã, na coluna desta segunda-feira. Que jogo! Deu gosto de ver. O primeiro tempo foi do time azul, que abriu 1 a 0, gol de Pedro Rocha, mas que sofreu o empate logo em seguida, Bruno Henrique. O Cruzeiro perdeu sua invencibilidade na temporada, mas não me deixou nem um pouco preocupado. Não tenho dúvidas de que é um sério candidato aos títulos que está disputando. O Flamengo sim, fez sua melhor partida sob o comando de Abel e Bruno Henrique, que marcou dois gols, já merece uma chance na Seleção Brasileira, desde 2017. Que jogador! E pensar que um amigo meu o sugeriu ao Atlético, quando ainda não fazia sucesso, e um dos homens da diretoria disse que ele não jogava nada. Piada!


O jogo de sábado me lembrou os bons tempos do futebol brasileiro, com belas jogadas e gols. As duas equipes se dispuseram a jogar em busca do gol, no ataque. Claro que o Cruzeiro de Mano é mais cauteloso, mais retrancado. Porém, tem jogadores do nível de Pedro Rocha, de Rodriguinho, que sabem o que fazer com a bola. O artilheiro Fred passou em branco. Preocupa-me saber que contra equipes grandes ele não consiga deixar sua marca. Fazer gols em Campeonato Mineiro ou na Libertadores, contra equipes de qualidade duvidosa, eu também faço. Como foi apenas a estreia, vou dar um desconto ao artilheiro. E um comentarista disse que ele já passou Pelé em gols pela Libertadores. Gente, que balela! Na época de Pelé se jogava menos partidas e a competição Sul-Americana não tinha 40 clubes. São comparações ridículas. A mesma coisa acontece com Neymar, na Seleção Brasileira. Claro que ele vai bater a marca de Pelé, pois joga “todo dia”, e contra adversários de qualidade duvidosa. Não dá para fazer esse tipo de comparação. Mais abaixo, vou falar do soco que Neymar deu em um torcedor ao ser xingado por ele na perda da Copa da França.


Decepcionou-me o público no Maracanã, pouco mais de 29 mil pagantes. Também, uma partida desse nível, às 21h de um sábado, só mesmo os mais fanáticos para deixarem suas famílias nos “embalos de sábado à noite”. Flamengo, Cruzeiro, Grêmio e Palmeiras são os candidatos a levar o Brasileirão. Se vão ganhar ou não, é outra história, mas são, disparados, os melhores times do futebol brasileiro. Corre por fora o Santos, pela qualidade do técnico Jorge Sampaolli. No Independência, o Galo venceu o Avaí por 2 a 1 e começou bem a competição. Dessa vez, o VAR foi decisivo a favor do Galo, ao anular o gol de Betão, que realmente tocou a mão na bola. Mas, antes, sofrera pênalti de Leo Silva. Viram como não existe complô contra o Atlético? É melhor o torcedor parar com essa síndrome e a equipe jogar mais futebol. O Galo deve figurar na zona intermediária da tabela. É uma equipe limitada, como outras 15 que disputam o Brasileirão. Nada além disso. O Avaí subiu agora e deu trabalho ao alvinegro. De qualquer forma, estrear com vitória é sempre um alento ao torcedor. Três pontos importantes numa competição onde cada jogo é uma decisão.


Irresponsável
Neymar cometeu mais um ato insano ao agredir um torcedor na hora em que foi receber a medalha de vice-campeão da Copa da França, na derrota para o Rennes nos pênaltis, no Stade de France, sábado. Ao ser xingado pelo torcedor do clube campeão, desferiu um soco nele. Esse moço realmente parece ser desequilibrado. Vivendo péssima fase e criticado pelo mundo todo, o ídolo mais odiado do Brasil precisa ser mais bem orientado, pois já tem 27 anos e não é nenhuma criança. Joga numa equipe fraquíssima, onde jamais ganhará a Liga dos Campeões da Europa, e, dessa forma, ficará sempre distante da Bola de Ouro. O técnico Tite se engana ao dizer que ele “é Top 3”. Jamais. No máximo Top 10, e com muita boa vontade. Quando a gente imagina que Neymar vai mudar seu comportamento, ele apronta mais uma. Claro que não se justifica a agressão verbal desferida pelo torcedor, mas, ao dar um soco nele, Neymar perdeu toda a razão. Uma pena que um talento como o dele se perca por ser mal orientado. Neymar é nosso único craque, mas está longe de ser um atleta de verdade, um homem de verdade. Seu comportamento é de moleque mimado. Espero que a TV Globo não passe a mão na sua cabeça, para puxar seu saco e conseguir entrevistas exclusivas. Neymar não dá mais audiência em lugar nenhum. Talvez nas capas de revistas de fofoca esteja aparecendo mais do que onde deveria: no campo de futebol!


Publicidade