Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Antes da final... Guerra aos pernilongos

O Minas treinou ontem no Mineirinho e as jogadoras tiveram que gastar muito repelente para conseguir ficar em quadra. Depois de estudar o adversário, o Praia chega hoje a BH


postado em 18/04/2019 05:05

Depois do treino na Pampulha, Minas folga hoje e retorna amanhã ao palco do jogo(foto: Fotos: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Depois do treino na Pampulha, Minas folga hoje e retorna amanhã ao palco do jogo (foto: Fotos: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)



Antes de enfrentar o Praia Clube no primeiro jogo da série melhor de três que decidirá quem será o campeão da Superliga Feminina de Vôlei, o Minas teve um confronto com os pernilongos durante o treino no Mineirinho. Para conseguir treinar no ginásio que será palco da partida de domingo, às 11h, as jogadoras tiveram que passar repelente.

As jogadoras chegaram juntas ao ginásio, em transporte do clube, em duas vans. Desembarcaram já dentro do ginásio e se dirigiram para a quadra, mas, tão logo chegaram ao banco de reservas, retiraram os frascos de repelente e passaram pelo corpo. Algumas atletas colocaram malhas para evitar as picadas. “Aqui eles estão picando até por cima da roupa”, diz a líbero Leia.

O medo maior é por dengue. “Já pensou ficar doente logo agora e perder a disputa do título? Melhor prevenir que ficar de fora”, diz a meio de rede Mara. Somente depois desse ritual, que inclui o técnico italiano Stefano Lavarini, é que todas foram para o aquecimento e, em seguida, começou o treino efetivamente. Mas bastou o treinador encerrar as atividades para que todas as jogadoras saíssem correndo em direção às mochilas para uma nova dose de repelente.

Desde 2017, último ano da decisão da Superliga em apenas uma partida, que a responsabilidade dos jogos passou a ser dos clubes. Antes, a CBV arcava com todas as despesas e também com a montagem do espetáculo. Mas desde o ano passado isso mudou e na final desta edição o Minas teve de montar uma verdadeira operação de guerra.

O piso do Mineirinho, de taraflex, será o mesmo que é utilizado na Arena Minas. Este teve de ser tranportado para o ginásio do primeiro jogo da final e sua montagem durou praticamente um dia. Para isso, o clube disponibilizou seis funcionários. Além disso, os vestiários tiveram de ser preparados. Não havia, por exemplo, bancos e nem mesa no espaço reservado às jogadoras. Tudo teve de ser levado do Minas para o ginásio. Os funcionários trabalharam, sem descanso, das 7h de sábado às 7h de domingo. A montagem da quadra durou toda a madrugada.

E ainda há muito o que fazer. O placar eletrônico ainda não foi testado, o que deverá acontecer somente amanhã. Se não estiver funcionando, o Minas terá de alugar dois, um para cada extremidade da quadra. Será necessária, também, a extensão de fios de energia elétrica para atender à imprensa credenciada, que ficará na beira da quadra no dia do jogo.

 

 

PRAIA O Praia chega hoje a Belo Horizonte. O time sairá de manhã de Uberlândia, chegando à capital mineira perto de meio-dia. Hoje, não haverá treino no Mineirinho para nenhuma das duas equipes – o técnico Stefano Lavarini, do Minas, resolveu dar folga à jogadoras. Por isso, o técnico Paulo Coco comandará um treino no Minas.

O treinador, além de usar a preparação em quadra, está usando vídeos e conversando muito com as jogadoras. Nos detalhes, as imagens mostram as principais jogadas e movimentações das jogadoras do Minas. Para ele, as conversas são tão produtivas quanto a prática em quadra. Os vídeos e conversas acontecem sempre antes de cada treino, quando ele dá ênfase ao que foi mostrado em vídeo.

O saque e a defesa são, para o treinador do time do Triângulo, o segredo para se vencer este primeiro jogo, revertendo a vantagem. “Se conseguirmos ganhar, poderemos decidir o título em casa, junto da nossa torcida.”


Pequi Atômico perto do retorno
O Montes Claros Vôlei anunciou ontem que está praticamente garantido o seu retorno às quadras este ano. Na temporada 2018/2019, a equipe esteve inativa e cedeu a sua vaga na Superliga Masculina para o Corinthians. Mas, agora, a parceria foi desfeita. Andrey Souza, gestor da equipe, disse que a volta do time às quadras está “99% garantida”, dependendo apenas de alguns ajustes. Uma das pendências é fechar parceria com a Prefeitura de Montes Claros, envolvendo a cessão do Ginásio Poliesportivo Tancredo Neves e um apoio na parte de logística, transporte, alimentação e pagamento de hospedagens durante as viagens. Para a temporada 2019/2020, o projeto tem um orçamento de cerca de R$ 2 milhões. (Luiz Ribeiro)


Publicidade