Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Aumentam opções para o ataque


postado em 16/04/2019 05:07

Thiago Neves ainda não conseguiu completar uma partida este ano, mas estará à disposição no sábado(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 8/4/19)
Thiago Neves ainda não conseguiu completar uma partida este ano, mas estará à disposição no sábado (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 8/4/19)



A um empate de ser bicampeão e conquistar seu 38º título estadual, o Cruzeiro ganhou reforços importantes para o seu setor ofensivo visando ao jogo contra o Atlético, às 16h30 de sábado, no Independência, pela partida de volta da final do Campeonato Mineiro. O armador Thiago Neves, recuperado de lesão na panturrilha direita, e o atacante Pedro Rocha, que participou dos minutos finais da vitória de domingo por 2 a 1, pelo jogo de ida, terão semana cheia de treinamento e estão nos planos do técnico Mano Menezes.

 

Thiago Neves vinha sofrendo com a enfermidade na perna direita desde a pré-temporada. Por causa disso, não conseguiu completar nem uma partida sequer em 2019. Mas a comissão técnica cruzeirense acredita que o camisa 10, em sua melhor forma, tem condições de ser decisivo como foi nos dois últimos anos, quando jogou 112 vezes, somou 32 gols (17 em 2017, e 15 em 2018), deu 16 assistências e conquistou três títulos: dois da Copa do Brasil e um do Mineiro. Ainda que não seja titular no clássico, o armador pode surgir como alternativa a Rodriguinho, bem marcado pelos volantes do Atlético nos primeiros 90 minutos da final.

 

“Finalmente temos essa possibilidade. Trabalhamos para tê-la quando o Thiago pudesse entregar o melhor. É um jogador experiente, decisivo, uma parte do jogo certamente ele estará em campo”, projetou Mano Menezes.

 

Pedro Rocha, por sua vez, sentiu o gosto de jogar parte do segundo tempo no Mineirão. Ele entrou no lugar de Rodriguinho, aos 23min, e teve tempo de fazer algumas tabelas com o lateral-esquerdo Egídio.


Outra opção aos titulares Robinho e Marquinhos Gabriel para as pontas é David, que marcou três gols e deu duas assistências em 2019, porém sofreu lesões na coxa esquerda e, desta forma, participou somente de sete dos 19 jogos do time.

Retrospecto Para levar o Cruzeiro ao bicampeonato, Mano Menezes terá de arrancar ao menos um empate no Independência. Em cinco jogos sob o comando do treinador, o retrospecto é desfavorável: uma vitória e quatro derrotas. Em contrapartida, o Cruzeiro não perde mata-matas para equipes brasileiras há quase dois anos. São 14 vitórias consecutivas: cinco pelo Campeonato Mineiro, oito pela Copa do Brasil e uma na Copa Libertadores. O último time a ter superado a Raposa em duelos eliminatórios foi justamente o Atlético, na final do Mineiro de 2017. Segundo Mano Menezes, o resultado construído pelo time celeste no Mineirão modificará as estratégias das duas equipes no duelo no Independência.


“Demos um primeiro passo em direção à conquista do título. A vitória nos deixa contente, podemos trabalhar uma semana já com base nessa realidade objetiva, com as escolhas do adversário, com postura do adversário, que precisa atacar o Cruzeiro no segundo jogo. Essa reversão da vantagem muda as características do confronto, a maneira como o jogo pode ser jogado. Vamos nos preparar para fazer um jogo melhor do que fizemos aqui para tentar confirmar essa condição”.


Publicidade