Continue lendo os seus conteúdos favoritos.
Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Alvinegros destacam a organização tática


postado em 15/04/2019 05:05

Elias ressaltou a melhora do time do Galo com os dois treinos sob o comando de Rodrigo Santana(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Elias ressaltou a melhora do time do Galo com os dois treinos sob o comando de Rodrigo Santana (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

Em sua primeira partida no comando do Atlético, Rodrigo Santana gesticulou muito, fez mudanças, tentou acalmar os jogadores e reclamou com a arbitragem. A derrota por 2 a 1 não estava nos planos dele. Por isso, os próximos cinco dias de treinos na Cidade do Galo serão fundamentais para que o treinador estabeleça as armas na busca pelo título mineiro de 2019.

Apesar do resultado negativo, Santana saiu satisfeito com o desempenho do alvinegro: “Diante de um jogo difícil, depois de uma viagem desgastante, os jogadores compraram a nossa ideia. Tenho que parabenizá-los, sobretudo Ricardo Oliveira, Luan e Chará. Eles absorveram a ideia de jogo em cima da proposta de trabalhar em transição defensiva. Defendemos, mas estivemos preparados para impor o contra-ataque. Com um dia de treino, eles fizeram muito bem”.

Ele entende que a saída de Cazares na etapa inicial prejudicou o rendimento ofensivo do Galo: “Ele é um jogador que desequilibra numa jogada individual ou mesmo em bola parada. Por isso, tivemos dificuldade para sair para o jogo quando ele saiu machucado”.

Para o volante Elias, a equipe deixou boa impressão na estreia de Rodrigo Santana: “Temos tudo para continuar crescendo. A equipe mostrou equilíbrio e organização, mérito do trabalho feito nos dois dias que tivemos para nos preparar. A gente sabe que vai ser difícil, mas temos uma semana para corrigir as falhas. É elevar o espírito para mudarmos essa situação e conquistar o título” .

ATUAÇÃO DO VAR A atuação do auxiliar de vídeo (VAR) foi muito criticada pelo treinador e pelo novo diretor de futebol, Rui Costa. Na visão dos atleticanos, a tecnologia deveria ser usada no lance em que o zagueiro Igor Rabello foi agarrado por Dedé dentro da área, no fim do primeiro tempo, em pênalti não marcado. “Quero deixar claro ao torcedor que o VAR foi tão bem aplicado por três vezes contra o Atlético nas semifinais, mas hoje (ontem) teve pane. Temos de falar de um grande prejuízo que sofremos por causa de equívocos. Nosso zagueiro não foi apenas puxado, ele sofreu um golpe de judô. A checagem não durou 10 segundos e logo o árbitro encerrou o primeiro tempo”, reclamou Rui.

Xingado por torcedores celestes na saída de campo, o goleiro Victor reagiu abrindo uma garrafa e espirrando água nos cruzeirenses, o que foi registrado em vídeo. Ele corre o risco de ser denunciado pela procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD-MG) no Artigo 258 – conduta antidesportiva.


Publicidade