Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Confronto entre amigos

Depois de dois adiamentos, solidariedade e agradecimentos, Cruzeiro e Deportivo Lara finalmente se enfrentarão hoje. Equipe celeste quer confirmar a liderança do Grupo B


postado em 27/03/2019 05:09

Lucas Romero, Ariel Cabral e Fred em momento de descontração ontem, na Toca da Raposa II. O atacante celeste tenta marcar seu primeiro gol nesta edição da Libertadores(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Lucas Romero, Ariel Cabral e Fred em momento de descontração ontem, na Toca da Raposa II. O atacante celeste tenta marcar seu primeiro gol nesta edição da Libertadores (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)


O jogo entre Cruzeiro e Deportivo Lara-VEN, hoje, às 21h30, no Mineirão, pela segunda rodada do Grupo B da Copa Libertadores, traz para o futebol o drama que estão vivendo os venezuelanos. A partida estava inicialmente marcada para 13 de março, mas foi adiada duas vezes justamente por causa da grave crise no país vizinho, que impediu a delegação rubro-negra de vir a Belo Horizonte há duas semanas.

A situação acabou aproximando as duas equipes. Os venezuelanos não se cansam de agradecer ao clube celeste por terem entendido a situação e aceitado os adiamentos. Já os cruzeirenses se mostram solidários, até porque muitos deles foram privados de coisas básicas em algum momento da vida, como agora está ocorrendo com os vizinhos.

“A gente fica muito chateado com tudo que vem acontecendo. Tenho filho, família, a gente vê que é uma situação muito difícil que eles vivem. Que eles possam encontrar forças e que nossas autoridades possam ajudar de alguma forma porque é uma situação muito complicada”, afirma o lateral-direito celeste Edílson, que defende maior engajamento do futebol em causas humanitárias, como a da Venezuela. “O futebol é tão grande. Que a gente possa se unir, não só no Brasil, mas na Argentina, outros países, para ajudar nosso coirmão que está passando um momento tão difícil.”

Ele lembrou que, em virtude dos dois adiamentos, teve de deixar a concentração na Toca da Raposa II em duas oportunidades, assim como outros jogadores. Isso o fez pensar o quanto deve estar sendo difícil para os venezuelanos enfrentar tantos obstáculos.

“A gente se coloca no lugar das pessoas, eu vim de família humilde, meu pai faleceu quando eu tinha sete anos e minha mãe fez de tudo para que eu não passasse fome, que não faltasse nada em casa. A gente vê, na própria Venezuela e no Brasil também, muitas dificuldades. Vendo as histórias, os relatos na Venezuela, não terem água, alimento, isso nos deixa muito tristes. Nosso futebol é tão gigante que a gente poderia se unir cada vez mais para ajudar uma causa que é tão nobre”, disse Edílson, que acabou se emocionando.

Pelo lado venezuelano, todos lamentam a situação que foge ao controle dos profissionais e agradecem a chance de estar em Belo Horizonte. “Passamos por momentos complicados, ficamos sem saber se viríamos jogar, perdemos treinamentos pela indefinição. Uma hora íamos viajar à noite; outra hora, à tarde; depois, à noite. Temos de agradecer ao Cruzeiro pelo apoio, eles entenderam e aceitaram a mudança de data juntamente com a Conmebol em função da situação difícil do nosso país. Não estou dizendo nada novo, todos sabem do que está ocorrendo na Venezuela. E estamos tratando, dentro dessa adversidade que estamos tendo como país, de dar alguma alegria ao nosso povo com um bom resultado aqui”, afirma o técnico Leo González.

LIDERANÇA
Se antes de a bola rolar o clima é amistoso, a partir das 21h30 a ordem é mesmo cada um brigar por seu objetivo. O Cruzeiro defende a liderança do Grupo B depois de estrear vencendo o Huracán-ARG por 1 a 0, em Buenos Aires.

“Em um clube grande como o Cruzeiro, a gente sempre tem objetivos grandes e temos de estar preparados para tudo. Mesmo a gente não conhecendo tão bem a equipe do Deportivo Lara, a gente sempre espera jogos difíceis. A gente venceu o primeiro jogo fora e temos de confirmar a vitória em casa para que possamos continuar na liderança”, declara Edílson.

Em relação ao primeiro jogo da Libertadores, a novidade será a volta do zagueiro Dedé, que cumpriu suspensão na estreia. Já o volante Henrique, que estava suspenso no sábado, na goleada por 5 a 0 sobre o Patrocinense, volta ao time. Thiago Neves e Raniel continuam fora.


FICHA TÉCNICA
Cruzeiro x Deportivo Lara

Cruzeiro: Fábio; Edílson, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Lucas Romero, Robinho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel; Fred
Técnico: Mano Menezes
Deportivo Lara-VEN: Salazar; Vargas, Miers, Di Giorgi e Yriarte; Vargas, Molina, Centeno, Frutos e Di Renzo; Moreno
Técnico: Leo González
Segunda rodada do Grupo B da Libertadores
Estádio: Mineirão
Horário: 21h30
Árbitro: Piero Maza (CHI)
Assistentes: José Retamal e Claudio Urrutia (CHI)
TV: Fox Sports


Publicidade