Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Sobra goleador, falta vaga

Em sua melhor fase, Alerrandro deve dar lugar a Ricardo Oliveira no domingo, no duelo com o Tupynambás valendo uma vaga às semifinais. Papagaio assiste à briga de camarote


postado em 22/03/2019 05:08

Recuperado de uma gripe, tendência é que Ricardo Oliveira retorne ao ataque atleticano(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press - 30/9/18)
Recuperado de uma gripe, tendência é que Ricardo Oliveira retorne ao ataque atleticano (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press - 30/9/18)
 

Que Ricardo Oliveira é titular absoluto do Atlético todo mundo sabe, inclusive o reserva imediato, Alerrandro. Porém, o jovem atacante deve ter colocado uma pulga atrás da orelha do técnico Levir Culpi, pois marcou seis gols nos últimos cinco jogos em que foi titular e se tornou artilheiro da competição, com oito. Para completar, o experiente artilheiro, que começou muito bem a temporada e já soma nove gols, amarga seca de quatro partidas.

Para o duelo único das quartas de final do Campeonato Mineiro, domingo, contra o Tupynambás, o mais provável é que o “Bom Pastor” volte ao time depois de se recuperar da forte gripe que o impediu de enfrentar o América, domingo, no Mineirão. Mas a disputa parece cada vez mais aberta, para alegria dos atleticanos, que podem comemorar gols com qualquer um deles em campo.

“Todo mundo sabe que o goleador do time é o Ricardo Oliveira. Eu quero é estar preparado para quando as chances surgirem”, afirmou Alerrandro, de 19 anos, e que balançou as redes oito vezes em 21 jogos como profissional do Galo – no ano passado, atuou em 12 ocasiões, mas sem marcar.

Com os três gols nos últimos dois compromissos – dois contra o América e um diante do Tupynambás –, Alerrandro não só ultrapassou Ricardo Oliveira, que tem o dobro da idade, como chegou à artilharia do Estadual. Muito graças aos dois, o Galo é o time de melhor ataque da competição, com 24 gols em 11 jogos, média de 2,1 por partida. Eles marcaram 13, ou mais da metade.

Apesar da boa fase, o camisa 44 deverá ter menos chances de agora para a frente. A tendência é que Ricardo Oliveira seja o titular não só amanhã, mas também nas semifinais, caso o Galo avance. E mesmo quando houver partidas pela Libertadores, a perspectiva é não haver revezamento como ocorreu até agora, até porque todos os embates serão decisivos.

TERCEIRO ELEMENTO
Para completar, mais um jogador se credencia à briga por posição no ataque atleticano: Rafael Papagaio, contratado no começo do ano por empréstimo do Palmeiras e que estreou na vitória por 2 a 1 sobre o Tupynambás, em Juiz de Fora. “Agradeço muito a Deus pela oportunidade de voltar a jogar, pois fiquei muito tempo parado em função de lesão. Agradeço muito, também, ao grupo e à comissão técnica, que me deram muito apoio, ao departamento médico. É muito importante voltar, recuperar meu ritmo pouco a pouco. O importante, acima de tudo, foi a vitória, que permite manter esse bom aproveitamento que a gente vem tendo no Mineiro para chegar firme no mata-mata”, disse o camisa 99, também de 19 anos.

Independentemente da idade, será importante para os jogadores o apoio da torcida no domingo. A promessa é de casa cheia. Até a noite de ontem, 32.184 pessoas haviam garantido presença no Mineirão, marcando também os 111 anos do clube alvinegro, que prepara uma série de eventos antes da partida para comemorar.


Publicidade