Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

A prova dos 9

Primeiro clássico do ano entre Cruzeiro e Atlético terá disputa à parte pela artilharia entre Fred e Ricardo Oliveira. Eles são os maiores goleadores brasileiros da atualidade


postado em 26/01/2019 05:11

(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Independentemente do estado, qualquer clássico pode consagrar um artilheiro. Em Minas, Cruzeiro e Atlético já contam com dois experientes atletas com rico histórico de gols na carreira e passagem pela Seleção Brasileira. Acostumados a disputar grandes jogos, os trintões Fred e Ricardo Oliveira travarão duelo particular quando a bola rolar amanhã, às 11h, no Mineirão, pelo Campeonato Mineiro: eles disputam gol a gol para saber quem é o maior goleador em atividade de uma equipe presente na Série A.

Até o fim da última temporada, os dois camisas 9 estavam empatados (369 gols na carreira), mas o hat-trick marcado diante do Boa, na rodada inicial do Estadual, colocou o atleticano à frente. Por decisão de Levir Culpi, que escalou time reserva, ele ficou fora da derrota para o Tombense por 1 a 0, em Tombos, no meio de semana. Fred, por sua vez, foi desfalque do jogo de estreia do Cruzeiro na temporada contra o Guarani, em Divinópolis, por causa de problema estomacal, e passou em branco no triunfo por 1 a 0 sobre a Patrocinense, no Gigante da Pampulha.

Essa interessante disputa vem desde quando Ricardo Oliveira, de 38 anos, voltou ao país em 2015 e aumentou seu histórico de gols atuando no Santos. Fred, de 35, joga desde 2009 no futebol brasileiro – passou por Fluminense e Atlético até retornar ao Cruzeiro – e conseguiu manter a boa média que consolidou ao longo da trajetória no futebol.

A rivalidade entre ambos existe há mais de uma década, incluindo a disputa de uma vaga na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. “Não chegamos a atuar juntos, mas fomos concorrentes na Seleção Brasileira. Por causa da minha lesão em 2006, o Fred foi convocado pelo Carlos Alberto Parreira para a Copa do Mundo. Vai ser uma boa disputa entre dois artilheiros no clássico”, projeta o camisa 9 atleticano.

Ele afirma que o objetivo é continuar sendo sempre efetivo pelo time alvinegro: “São números que deixam a gente feliz, até porque, quando voltei ao Brasil, em 2015, era um momento difícil na carreira. Estava com 35 anos e naquele ano fiz 38 gols, voltando à Seleção Brasileira. Os números vão passando e vão aumentando, inclusive aqui no Atlético, onde me sinto feliz. Poder ser efetivo dentro do ano é algo que motiva, ainda mais marcando gols no clássico, se possível”.

Fred tem como desafio ter uma temporada sem lesões e jogar com frequência pelo Cruzeiro, sobretudo disputando a Libertadores. Em 2018, ele ficou praticamente fora de toda a participação da equipe na competição internacional por ter sofrido lesão muscular na coxa direita e em seguida ter rompido o ligamento cruzado anterior do joelho direito, indo à mesa de cirurgia e perdendo boa parte dos jogos.

O atacante celeste começou a partida contra a Patrocinense com uma máscara protetora para o nariz, fraturado recentemente, mas a tirou ainda no primeiro tempo. Agora, depende de avaliação dos médicos para saber se jogará com ou sem a proteção.

Depois de estreia apagada, o camisa 9 celeste espera melhorar sua performance gradativamente: “Senti falta de ritmo, mas já pude jogar quase 90 minutos diante do Patrocinense. Foi bom para começar a pegar ritmo. Daqui a pouco estaremos 100%”, disse ele, que foi substituído por Raniel aos 39min do segundo tempo no duelo passado.

CARA A CARA Quem conhece bem Fred e Ricardo Oliveira é o goleiro Fábio, ídolo do Cruzeiro. O camisa 1 prevê que a disputa entre ambos será uma atração especial do clássico. “Fred é bastante cobrado, até por ter estado do outro lado, por ter sido revelado aqui e ter coração cruzeirense, mas jogado no Atlético. São coisas do futebol. Todos nós queremos que ele faça um belo jogo, como a gente sabe que ele tem condição de fazer”, avaliou o camisa 1 celeste, que elogiou também o rival do confronto de amanhã, com quem ficará cara a cara em alguns momentos.

“Ricardo Oliveira tem muita qualidade, já estivemos juntos na Seleção Brasileira, fomos campeões da Copa América em 2004. Ele sempre se destacou onde passou e, no Cruzeiro, temos a consciência de que precisamos estar atentos o tempo todo, ainda mais em clássico. A atenção tem de ser total. O técnico Mano Menezes sempre pede que a gente assimile todas as situações que se apresentarem o mais rápido possível.”

Os gols de Fred
Clube Período Jogos Gols
América 2003-2004 57 34
Cruzeiro 2005-2005 e 2017-2018 86 60
Lyon-FRA 2005-2009 125 43
Fluminense 2009-2016 288 172
Atlético 2016-2017 83 42
Seleção Brasileira 2005-2014 40 18

Total
679 jogos
369 gols
Média de 0,54 por partida

Os gols de Ricardo Oliveira

Clube Período Jogos Gols
Portuguesa 2000-2002 85 51
Santos 2003 e 2015-2017 173 92
Valencia 2003-2004 33 10
Betis-ESP 2004-2006 e 2009 70 38
Milan 2006-2007 33 4
Zaragoza-ESP 2007-2009 61 jogos e 30 gols
São Paulo 2006 e 2010 51 21
Al Jazira-EAU 2009-2014 120 91
Al Wasl-EAU 2014-2015 12 4
Atlético 2018-2019 57 25
Seleção Brasileira 2004-2016 18 6

Total
712 jogos
372 gols
Média de 0,52 por partida






Publicidade