Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Doces e sobremesas

Queijada

Receita fornecida por Sandra Vieira de Souza Pereira, de Uberaba: (34) 3321-8498


postado em 20/11/2008 10:00

(foto: Beto Magalhaes)
(foto: Beto Magalhaes)

Ingredientes:

- 1,8 kg de açúcar cristal

- Meio litro de leite

- 500 g de queijo-de-minas curado, ralado

- Óleo ou manteiga para untar

Cachaça

:

- Entre as cachaças da região de Uberaba, destaque para a Mata Velha, produzida na fazenda de mesmo nome, e a Lenda do Chapadão,do Engenho Santa Fé.Contatos:Mata Velha(34) 3336-5252Lenda do Chapadão(34) 3313-0855

Modo de Preparo:

Em uma panela, levar ao fogo o açúcar e o leite. Mexer até levantar fervura e deixar no fogo até a mistura engrossar. Retirar do fogo e pôr o queijo, mexendo bem. Despejar o doce em um tabuleiro untado e, assim que esfriar, cortar em quadrados, do tamanho desejado.



Salve o queijo

(foto: Beto Magalhaes)
(foto: Beto Magalhaes)

Ninguém discorda de que o título de patrimônio nacional conferido ao nosso queijo-de-minas, em maio deste ano, foi mais do que merecido. Afinal, a iguaria faz parte do cotidiano e da história do estado. A paixão é tanta que até em receitas de doce ele está presente. É o caso da queijada, que a mineira Sandra Vieira de Souza Pereira prepara em Uberaba, com maestria. Natural de Coromandel, Sandra aprendeu a fazer o doce com a mãe, que aprendeu com a sua avó de Sandra, e assim por diante.

A tradição de família pode ser encontrada na feira itinerante da cidade ou na loja O Rei do Queijo, que pertence ao sogro de Sandra e fica no mercado municipal. E é Agnaldo quem confirma que a iguaria caiu mesmo no gosto dos uberabenses: "Muita gente vem aqui só para comprar o doce e, quando a Sandra viaja, o pessoal reclama". Depois de trabalhar 11 anos como telefonista, a quituteira começou a preparar o doce para incrementar a banca do marido na feira.

Hoje, se diz assustada com o sucesso da queijada. "Não posso parar de fazer. Estou muito feliz e minha mãe também gostou muito de saber que estou fazendo a receita dela", comemora, ao contar que vende mais de 300 pedaços de queijada por semana, além das encomendas. Prova de que, nesta receita, o patrimônio mineiro está mais do que bem representado.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade