UAI
Publicidade

Estado de Minas MEIO AMBIENTE

Serra do Curral: Duda Salabert chama Zema de 'office boy' das mineradoras

Parlamentar do PDT disse que governo atua em prol do setor minerário e cobrou a participação de Alexandre Kalil no debate sobre a preservação ambiental


05/05/2022 15:43 - atualizado 05/05/2022 20:40

A vereadora Duda Salabert, com mandato em BH
Duda Salabert (foto) concedeu entrevista ao Estado de Minas (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)

Vereadora de Belo Horizonte, Duda Salabert (PDT), é crítica à postura de Romeu Zema (Novo) ante o processo que culminou no aval a um empreendimento minerário na Serra do Curral. Para a parlamentar, o governador mineiro atua como "office boy" das mineradoras. Ontem, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semad) publicou a licença prévia concedida à Taquaril Mineração S.A (Tamisa) para preparar a exploração de uma área da serra.

"A gente sabe que Zema representa o poder das mineradores. Esse é o papel dele. Ele é um office boy das mineradoras. Questionamos, tem que ser demitido como office boy, mas é o papel dele", disse Duda, ao videocast "EM Entrevista", do Estado de Minas e do Portal Uai.


Leia mais no uai.com.br/ em.com.br

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE!

Siga o Portal UAI nas redes sociais:
Instagram - @estadodeminas
Twitter - @portalUai / @em_com
" />


Desde que o Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) aprovou o pleito da Tamisa, no sábado (30), surgiram ações judiciais questionando os impactos da mineração nas famosas montanhas. A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por exemplo, listou, à Justiça Federal, possíveis prejuízos à água tratada utilizada na capital, ao ar respirado pelos cidadãos e ao sossego dos moradores do entorno - visto que os explosivos necessários para escavar o solo podem gerar ruídos e vibrações.

"A Serra do Curral é um patrimônio da biosfera, de Minas Gerais e de Belo Horizonte. Ela não é do Zema ou minha, mas nossa. Temos que discutir a Serra do Curral. Destruir um pedaço da serra é tirar um pedaço de mim, de você, da sua infância", afirmou a pedetista.

Na terça (3), em Brasília (DF), Zema falou que o caso da Serra do Curral tem sido "polemizado". Segundo ele, o debate é marcado por opiniões "sem fundamentação".

"Esse é um assunto técnico, lamento que esteja sendo polemizado. Acho que assunto de saúde tem que ser tratado por médicos, por quem é da área da saúde. E assuntos de meio ambiente, deveriam ser tratados por pessoas dessa área", protestou. Lamento que esteja sendo causada uma repercussão por pessoas que opinam sem ter essa fundamentação", completou.

A declaração do governador foi refutada por Duda Salabert. "Dizer que só pessoas com formação acadêmica, só técnicos, podem discutir? Esse discurso tecnocrático era muito usado na ditadura militar para negar a participação popular. A gente não aprende só na universidade; aprendemos nas ruas".

Duda quer Kalil no debate


Candidato à reeleição, Zema deve enfrentar Alexandre Kalil (PSD), ex-prefeito de BH, no pleito de outubro próximo. Para Duda Salabert, o pessedista precisa participar ativamente do debate sobre a atividade exploratória.. Ela espera a participação de Kalil em um ato pró-Serra do Curral.

"O ex-prefeito Alexandre Kalil tinha que ser mais incisivo. Chamamos ele para o carnaval em defesa da Serra do Curral. Estamos organizando, na quinta da semana que vem, um grande ato, inclusive com a vida de artistas - possivelmente, devem vir Caetano Veloso, Gilberto Gil ou Milton Nascimento. Talvez algum deles venha. Que o Kalil esteja presente, como pré-candidato ao governo", pontuou.

Duda cobrou que os pré-candidatos ao governo apresentem projetos de diversificação da economia mineira - a fim de diminuir a dependência da mineração. "Ele [Kalil] diz que é contra [a mineração na Serra do Curral], mas falar, até papagaio fala. Tem de estar na luta, como estamos fazendo".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade