UAI
Publicidade

Estado de Minas IDEIA

Planalto sonda Alexandre Silveira para ser o líder de Bolsonaro no Senado

Substituto de Antonio Anastasia no Congresso está inclinado a aceitar ocupar posto vago desde a renúncia de Fernando Bezerra Coelho


19/01/2022 16:05 - atualizado 19/01/2022 16:54

Alexandre Silveira discursa em evento do PSD em Brasília
Alexandre Silveira (foto) vai substituir Antonio Anastasia como senador por Minas Gerais (foto: Gustavo Moreno/Comunicação PSD)

O Palácio do Planalto convidou o mineiro Alexandre Silveira (PSD) para ser o líder do governo de Jair Bolsonaro (PL) no Senado Federal. Silveira é suplente de Antonio Anastasia (PSD) e vai assumir um assento no Congresso Nacional após a posse do titular como conselheiro do Tribunal de Contas da União (TCU).

O convite a Silveira foi confirmado ao Estado de Minas por interlocutores ligados ao Senado. A avaliação é que ele está inclinado a aceitar a proposta. 

 

Antes de dar o "sim", porém, Silveira deve conversar com o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab. O futuro parlamentar é Diretor Jurídico do Senado e presidente do PSD em Minas Gerais. Ele é muito próximo ao também pessedista Rodrigo Pacheco, presidente do Congresso, e que também deve opinar antes da batida de martelo.

A sigla tem 11 senadores, e responde pela segunda maior bancada da Casa, atrás apenas do MDB. A CNN Brasil foi o primeiro veículo a tratar da possibilidade de Silveira liderar o governo.


O novo senador foi deputado entre 2007 e 2014. Durante o governo Anastasia, foi secretário de Estado. Antes do PSD, filiou-se ao PPS - hoje chamado de Cidadania. Nos anos 1990, chegou a ser nomeado delegado da Polícia Civil. Depois, ocupou postos de diretoria no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

O mandato de Anastasia, herdado por Silveira, se encerra no fim deste ano. No PSD, há quem defenda que ele tente a reeleição. Rodrigo Pacheco é um dos entusiastas da ideia.

"Se ele [Silveira] me impôs o ônus e a responsabilidade de ser o técnico dessa Seleção, para escalar quem for no ataque ou na defesa, Alexandre Silveira está escalado para disputar o Senado da República em 2022. E, certamente, quem ganhará muito será Minas Gerais", disse Pacheco, em evento com líderes políticos da Zona da Mata mineira, no fim do ano passado.

O PSD é o partido que abriga o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, cogitado como oponente de Romeu Zema (Novo) na disputa pelo governo mineiro.

Embora o partido defenda Silveira, a discussão sobre a agremiação a ocupar a vaga de senador em eventual chapa de Kalil tem outros interessados, como o PDT, que pensa em nomes como a vereadora Duda Salabert e o deputado federal Mário Heringer. A escolha do senador pode alterar o leque de apoios à hipotética campanha do prefeito.

Liderança está vaga desde eleição ao TCU


Anastasia venceu a eleição para o Tribunal de Contas contra Kátia Abreu (PP-TO) e Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), então líder do governo. O emedebista recebeu apenas sete votos no pleito, ocorrido em dezembro passado, e terminou na lanterna. O insucesso na disputa o levou a entregar o cargo ligado a Bolsonaro.

Antes do convite a Alexandre Silveira, Carlos Viana (MDB-MG), um dos vice-líderes de Bolsonaro, chegou a ser sondado para herdar a liderança.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade