UAI
Publicidade

Estado de Minas ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE MINAS GERAIS

'Propaganda' da Cemig em CPI é criticada, e deputado rebate: 'Asneiras'

Bate-boca entre Zé Guilherme e Professor Cleiton, deputados estaduais, aconteceu durante reunião da CPI da Cemig


25/11/2021 12:24 - atualizado 25/11/2021 13:56

CPI da Cemig
Presidente da CPI, Cássio Soares precisou intervir para acalmar os ânimos entre deputados (foto: Reprodução/YouTube Assembleia de Minas Gerais)
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), instalada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), colheu nesta quinta-feira (25/11) o depoimento de Márcio Luiz Simões Utsch, presidente do Conselho de Administração da estatal. A oitiva, de cerca de duas horas e meia, contou com um bate-boca intenso entre deputados.

O deputado estadual Zé Guilherme (PP) ficou irritado com uma interpretação do colega Professor Cleiton (PSB) sobre as perguntas do "progressista" ao depoente. As questões foram associadas à propaganda da Cemig, o que incomodou Zé Guilherme.

"Bom, passada a fase 'interrompemos a nossa CPI, para fazermos propaganda da Cemig', vamos voltar aqui ao objeto de investigação", iniciou Cleiton, quando foi interrompido por Zé Guilherme.

"Deputado, deputado Professor Cleiton, o senhor respeite, por favor. Eu nunca interrompo o que você fala, as asneiras que o senhor diz aqui nessa CPI, as asneiras que o senhor diz, eu nunca te interrompi. Por favor, o senhor respeite", respondeu.

"O senhor respeite, as asneiras... o senhor já foi grampeado pela Kroll, o senhor já disse que o avião caiu por causa da, que o avião da cantora foi por causa da Cemig, me respeite. Tenha dó, Professor Cleiton, tenha dó", completou.

O presidente da CPI, deputado estadual Cássio Soares (PSD), interveio e apaziguou a situação, pedindo calma aos parlamentares. Depois, Cleiton se posicionou antes de partir para os questionamentos a Márcio Luiz Simões Utsch.

"Deputado Zé Guilherme, não sei para quê isso aí, uai. Eu estou só... eu respeito o senhor, você sabe que eu respeito o senhor, não sabe? Sabe do meu respeito. Inclusive, até brincava com o senhor que o senhor está indo muito ao Sul de Minas, cidade que o senhor não quis falar o nome Pouso Alegre, eu acompanhei isso lá também. É porque, deputado Zé Guilherme, nós temos entendimentos diferentes, eu acho que o objeto da CPI não é esse, só isso, mas com todo respeito ao senhor. Jamais o desrespeitarei, o senhor sabe disso, e sabe mesmo. Apesar das nossas diferenças clubísticas. Me desculpa, deputado Zé Guilherme. Já falei várias vezes que nós não podemos estremecer nossa relação por causa de uma CPI, mas eu tenho, deputado Zé Guilherme... agora, não falei de cantora aqui não, deputado. Aqui? Não falei. Quem está falando é a filha do piloto", afirmou.

A comissão apura possíveis irregularidades recentes na gestão da empresa estatal. Nesta quinta-feira, o presidente do Conselho de Administração da Cemig foi questionado sobre algumas irregularidades apontadas por deputados, como o contrato de R$ 1,1 bilhão da estatal com a empresa IBM por um serviço de call center por dez anos.

Os deputados suspeitam que a contratação da IBM foi uma manobra, já que a empresa não foi a vencedora do processo licitatório - quem venceu foi a Audac. Após contratação da IBM para prestação do serviço, as suspeitas dos parlamentares são de que a empresa subcontratou a AeC para executar a devida função. A AeC, contudo, tinha sido derrotada no pregão.
 
Outro fato que intriga os deputados é que a AeC foi fundada por Cássio Rocha de Azevedo, secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais entre outubro de 2019 e abril deste ano - ele faleceu em junho de 2021. Márcio Luiz Simões Utsch afirmou desconhecer algumas informações e não considera algumas delas como ilícitas.
 
Segundo nota emitida pela Cemig, "o depoimento do presidente do Conselho de Administração da Cemig, Márcio Utsch, foi mais um a atestar a legalidade das ações adotadas pela Companhia, além de esclarecer sobre as atribuições do órgão presidido por ele. A Cemig esclarece que todos os procedimentos adotados pela Companhia visam preservar seu patrimônio e assegurar a melhoria da oferta de serviços de energia elétrica com qualidade e segurança aos seus clientes". 
 
A CPI da Cemig foi instalada em junho deste ano e tem até fevereiro de 2022 para gerar um relatório final. A próxima reunião da comissão ainda será agendada.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade