UAI
Publicidade

Estado de Minas CORRIDA ELEITORAL

Kassab 'anuncia', mas Pacheco diz que 2022 será pauta 'no momento certo'

Em evento com lideranças do PSD, presidente do Senado foi alçado ao posto de presidenciável, mas tratou o assunto com cautela


23/10/2021 15:08 - atualizado 23/10/2021 16:01

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado Federal
Rodrigo Pacheco é apontado como candidato à presidência pelo PSD (foto: Instagram/PSDnacional55)
Após o  presidente nacional do Partido Social Democrático (PSD), Gilberto Kassab, reiterar o desejo de lançar Rodrigo Pacheco  como candidato ao Palácio do Planalto, o presidente do Congresso Nacional optou pela prudência. Neste sábado (23/10), o senador por Minas Gerais, que anunciou sexta-feira (22/10) a mudança para a agremiação pessedista, esteve em evento da legenda no Rio de Janeiro (RJ).

Durante o ato, Kassab afirmou que Pacheco só não será o nome do PSD para a corrida presidencial 'se não quiser'. O parlamentar, no entanto, disse que as funções à frente do Congresso Nacional impedem que a possibilidade seja alvo de seus pensamentos neste momento. Pacheco prometeu debater a questão 'no momento certo'.

"Mais importante que definir ou cravar o nome de uma candidatura neste momento, é que temos o consenso sobre a necessidade que o Brasil tem de pacificação, organizar e planejar as ideias e propostas para o país e resolver os problemas nacionais", afirmou ele, em coletiva de imprensa.

O evento deste sábado teve a condução de Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro e recém-chegado às fileiras pessedistas. Ao convidar Pacheco para subir ao palco, se referiu a ele como "próximo presidente da República".

Embora não se coloque como postulante ao governo federal, Pacheco aproveitou o sábado para pedir "união nacional" em torno de um projeto que solucione as mazelas nacionais. Ele se disse "otimista" com o Brasil.

"Não precisamos inventar crises. Temos inimigos e crises reais: fome, miséria, desemprego, crise hídrica, crise energética e inflação. Como bem disse Eduardo Paes, a inflação prejudica, sobretudo e principalmente, o pobre. O rico acaba, realmente, dando um jeito, mas a inflação não é boa para ninguém", falou.

Pacheco é a única opção de Kassab

A chegada de Pacheco ao PSD foi precedida por meses de suspense, desde que Gilberto Kassab o convidou a mudar de partido. O ex-prefeito de São Paulo tem afirmado que o senador é sua  única opção para representar a agremiação na corrida presidencial .

"O Rodrigo mostrou que ele tem talento e sabedoria para a vida pública. Se Deus quiser, ele é o próximo presidente do Brasil. O PSD está pronto para abraçar suas propostas", assegurou.

Após sair do Democratas (DEM), Pacheco assina a ficha de filiação ao PSD na quarta-feira (27). O evento vai ocorrer no memorial em homenagem a Juscelino Kubitschek, em Brasília (DF).

A escolha do local faz parte da estratégia da cúpula do partido para dar início às costuras rumo a 2022.

Há quem acredite em semelhanças entre o chefe do Legislativo e JK . A carreira pública de ambos foi feita em Minas Gerais. Pesa a favor, ainda, o fato de o ex-presidente da República ter sido filiado ao antigo PSD, extinto pela ditadura militar. A natureza conciliatória também é vista como similaridade.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade