UAI
Publicidade

Estado de Minas

'Não cumpriu sua função', vereador acusa Adalclever Lopes na CPI da COVID

Secretário de Governo da Prefeitura de Belo Horizonte afirmou na Câmara nesta quinta-feira (14/10) não ter conhecimento das decisões tomadas na pandemia


14/10/2021 11:27 - atualizado 14/10/2021 11:55

Na foto, o secretário de Governo Adalclever Lopes e o advogado Bruno Cézar
Adalclever Lopes, secretário de Governo da PBH, prestou depoimento na CPI da COVID da Câmara Municipal nesta quinta-feira (14/10) (foto: Reprodução)
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID na Câmara Municipal de Belo Horizonte ouviu nesta quinta-feira (14/10) o secretário de governo da PBH, Adalclever Lopes, que esteve ontem na CPI da BHTrans. Além dele, também presta esclarecimentos à comissão o gerente de contratação de serviços gerais e de engenharia, Leonardo Vilete Matos, sobre as doações de respiradores do Shopping Oiapoque à prefeitura.

O secretário municipal de Governo prestou informações para elucidar os questionamentos referentes à condução da Secretaria Municipal de Governo no enfrentamento da pandemia da COVID-19, conforme prevê o requerimento de convocação aprovado. Na comissão, Adalclever negou ter conhecimento sobre as decisões da prefeitura referentes à pandemia em Belo Horizonte.
 

O presidente da CPI, vereador Juliano Lopes (AGIR), criticou Adalclever por ficar de fora das decisões da prefeitura. “Esta área de COVID em hipótese nenhuma faz parte da minha secretaria”, respondeu o secretário fazendo menção à lei que define as atribuições da pasta que coordena.

Entre as competências da nova secretaria de governo estão "coordenar as atividades de apoio às ações políticas de governo; planejar e coordenar, com participação dos órgãos e das entidades do Poder Executivo, as políticas de mobilização social;  coordenar e executar as atividades de acompanhamento e suporte às instâncias de participação popular e aos colegiados; monitorar e adotar as medidas necessárias à execução de prioridades definidas pelo prefeito para proporcionar a atuação articulada dos órgãos e das entidades; articular as respostas às demandas da sociedade civil que lhe forem encaminhadas pelo prefeito e prestar apoio e assessoramento ao Gabinete do vice-prefeito"

Segundo Juliano Lopes, o caso da COVID-19 é uma situação inesperada e que não estaria descrita nas funções da pasta. “O caso da COVID é o momento que todo mundo tá passando, não vai constar no artigo porque ninguém esperava. O que percebo é que nas grandes decisões da prefeitura de Belo Horizonte o senhor não teve nenhuma participação”, acusou. “O senhor não cumpriu com seu papel na secretaria de governo”, acrescentou.
 
Adalclever informou que o Comitê de Enfrentamento à Pandemia da COVID-19 em março de 2020 e ele assumiu a pasta em janeiro de 2021. 
 
O secretário também foi ouvido na CPI da BHTrans na manhã de quarta-feira (14/10) na Câmara Municipal de BH.

Vereadores investigam a doação de oito respiradores do Shopping Oiapoque à prefeitura de Belo Horizonte como uma possível relação para a abertura temporária do estabelecimento durante a pandemia, em maio de 2020.
 

Leonardo foi convocado após o dono do Shopping Oi, Mário Valadares, afirmar na CPI que teria negociado com o gerente da PBH os trâmites e equipamentos que seriam doados pelo condomínio. No entanto, ele negou a informação e disse que não negociou com Mário, mas sim um funcionário do grupo. Parlamentares se indignaram com Mário Valadares e disseram que ele esteve várias vezes na comissão e “mentiu descaradamente”.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade