UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDORA PAPERS

Offshore: Randolfe protocola notícia-crime no STF contra Paulo Guedes

Senador também denuncia Roberto Campos Neto, Presidente do Banco Central, por manter empresas no exterior em paraísos fiscais


04/10/2021 14:45 - atualizado 04/10/2021 15:29

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) em audiência da CPI da Covid, no Senado
Randolfe afirmou que enquanto o povo sofre com as consequências do dólar alto, o ministro Paulo Guedes acumula "lucro milionário" (foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)  acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Corte solicite à Procuradoria-Geral da República (PGR) a abertura de uma investigação contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Neste domingo (3/10), a Pandora Papers, que faz parte do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ), revelou que Guedes e Neto manteriam empresas no exterior em paraísos fiscais.

 

 

 

O líder da oposição no Senado Federal entende que a manutenção de offshore por membros da política econômica do governo pode apontar uma série de irregularidades. Pelo Twitter, o vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid afirmou que, além da notícia-crime, vai solicitar a presença de Guedes e de Campos Neto à Casa Legislativa para prestar esclarecimentos. Randolfe afirmou, ainda, que, enquanto o povo sofre com as consequências do dólar alto, Guedes acumula "lucro milionário". 

 

Em outro tuíte, o senador afirma que o ministro da Economia lucrou com a fome e a miséria do povo brasileiro: 

 

 

 

O Procurador-Geral da República, Augusto Aras, deve oficiar Paulo Guedes para obter mais informações sobre a empresa nas Ilhas Virgens, país considerado um 'paraíso fiscal', por possuir condições fiscais atrativas para investidores estrangeiros, baixos impostos e total sigilo bancário. 

 

 

Na Câmara, PSOL vai tentar instaurar CPI

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados vai apresentar nesta segunda-feira (4) requerimento e iniciar a coleta de assinaturas para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigue empresa offshore do ministro da Economia, Paulo Guedes, em paraíso fiscal. A informação foi dada pela líder da sigla na Câmara, Talíria Petrone (RJ).

"É inadmissível que enquanto o povo passa fome, o braço direito de Bolsonaro lucre com inflação e alta do dólar", declarou a deputada nas redes sociais. O documento está sendo elaborado e a perspectiva é que, na tarde desta segunda, seja concluído.

De acordo com informações obtidas pelo  Broadcast Político , sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. a coleta de assinaturas para a abertura da CPI será a prioridade entre hoje e terça-feira.

Além do pedido de abertura de uma CPI, o PSOL, junto com os partidos de oposição, também vai acionar o Ministério Público Federal (MPF) para que se investigue um possível conflito de interesses de Guedes e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Um pedido de convocação de ambos na Câmara também foi apresentado pela oposição.

Pandora Papers

No domingo (3), foram divulgadas informações pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) dentro do projeto Pandora Papers que denunciam a existência de empresas "offshore" no nome de Guedes e de Campos Neto. De acordo com documentos, são 330 políticos, funcionários públicos de alto escalão, empresários e artistas de 91 países e territórios que têm ou tinham empresas offshore, ou seja, fora de seu domicílio fiscal e abertas em locais conhecidos como paraísos fiscais, pois cobram pouco ou nenhum imposto e protegem o sigilo bancário do cliente. (Com Estadão Conteúdo)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade