Publicidade

Estado de Minas LUTO

Cortejo com corpo de Bruno Covas deixa prefeitura de SP e segue para Santos

Ele segue até o Cemitério Paquetá, em Santos, onde será enterrado


16/05/2021 15:45 - atualizado 16/05/2021 16:39

Cortejo do corpo de Bruno Covas em São Paulo, seguindo para Santos(foto: Nelson Almeira/AFP)
Cortejo do corpo de Bruno Covas em São Paulo, seguindo para Santos (foto: Nelson Almeira/AFP)
O corpo do prefeito Bruno Covas (PSDB) foi velado em uma cerimônia rápida no saguão da Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, centro da cidade, neste domingo (16/5). O velório foi restrito a cerca de 20 pessoas. Do lado de fora do prédio, apoiadores políticos, pessoas com bandeiras do Santos e do Brasil e algumas centenas de populares compareceram para se despedir do prefeito. Em função da pandemia do coronavírus, a cerimônia foi transmitida pela internet.

Após o velório, o corpo foi transportado por guardas-civis e pelo filho Tomás da Prefeitura para um caminhão dos bombeiros e saiu para o Viaduto do Chá às 14h35.

 

Leia também: Morre o prefeito de São Paulo, Bruno Covas 


O público do lado de fora deu uma salva de palmas ao prefeito e soltou bexigas brancas. O caixão estava coberto por bandeiras do Estado de São Paulo, da cidade e do Brasil.

O cortejo faz um percurso saindo do centro de São Paulo em direção à Praça Oswaldo Cruz, passando pela Avenida Paulista, antes de seguir até o Cemitério Paquetá, em Santos, onde será enterrado. É o mesmo local onde está sepultado seu avô, o ex-governador paulista Mário Covas.

A cerimônia foi celebrada pelo padre Rosalvino Moran Vinãyo, da Obra Social Dom Bosco, que era ligado ao avô de Bruno.

 

Leia também:  Avô de Bruno, senador Mário Covas também morreu de câncer

 

Os pais, Pedro Mauro Lopes e Renata Covas Lopes, estavam na primeira fileira de pessoas ao lado do corpo, que ficou em um caixão sobre um tapete vermelho no saguão do prédio.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que chegou por volta das 14 horas, pouco após o início da cerimônia, sentou-se com a primeira-dama, Bia Doria, na segunda fileira.

O prefeito Ricardo Nunes, e sua mulher Regina, posicionaram-se em pé atrás de Doria, em uma terceira fileira, ao lado do filho de Bruno, Tomás Covas, de 15 anos.


O jovem estava abraçado e era confortado pelo oncologista Tulio Pfiffer, médico do Hospital Sírio-Libanês que tratou do prefeito. Gustavo Covas, irmão do prefeito morto neste domingo, e Karen Ichiba, mãe de Tomás, também estavam nesta terceira fileira.

Ricardo Nunes chegou à Prefeitura antes da cerimônia ter início, e aguardou o início do ato no segundo andar do prédio, na companhia do marqueteiro Felipe Soutelo, responsável pela campanha eleitoral de 2020 que terminou com a vitória da dupla.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade