Publicidade

Estado de Minas LEVANTAMENTO

Brasileiro culpa Bolsonaro por cenário crítico na pandemia, diz pesquisa

Segundo levantamento do instituto Paraná Pesquisas, população também acha que a economia vai piorar, teme morrer de COVID-19 e subestimou duração da pandemia


29/03/2021 10:07 - atualizado 29/03/2021 12:36

Logo após Bolsonaro, brasileiros apontem 'todos os políticos' como culpados pela crise sanitária instalada no Brasil.(foto: EVARISTO SA / AFP)
Logo após Bolsonaro, brasileiros apontem 'todos os políticos' como culpados pela crise sanitária instalada no Brasil. (foto: EVARISTO SA / AFP)
O maior responsável pelo caos sanitário instalado no Brasil, que vive o pior momento da pandemia de COVID-19, é o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A opinião é de 29,4% dos participantes de um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, divulgado nesta segunda-feira (29/3). 

Logo abaixo do presidente vem "todos eles" - políticos de todas as esferas de governo, opção citada por 20% dos entrevistados. A lista de culpados segue com a população em geral (12,4%), os governadores (11,2%), o Supremo Tribunal Federal (8,2%), prefeitos (1,6%) e os deputados federais (1%). Citaram outros atores 1,7%.

Realizada entre 12 e 16 de março, a pesquisa ouviu 2.334 pessoas de todos os estados e do Distrito Federal. A grande maioria parece ter subestimado a duração da epidemia. Segundo 80,4% dos entrevistados, o fenômeno global está durando mais do que esperado. 

Já para 14,2%, a extensão da crise está dentro do previsto. Outros 1,8% disseram esperar que pandemia fosse se arrastar por mais tempo. Os que não souberam responder ou não opinaram somam 3,7%.  

O saldo de mortos da COVID-19 surpreendeu 73,4% dos consultados, cuja expectativa era de que a doença matasse menos. Por sua vez, 15,7% disseram que já esperavam a escalada de óbitos. Cerca de 6% revelaram perpespectivas ainda mais pessimistas e 4,5% não souberam ou preferiram não opiniar sobre a questão. 

O medo de perder um ente querido para o vírus assombra 48% das pessoas. Em seguida, vem o temor de que a pandemia se estenda por mais um longo período (30,2%). Os participantes também receiam ficar doentes (9,9%) e perder o emprego (7,8%).

Curiosamente, há um empate técnico entre entre aqueles que acreditam na melhora da situação sanitária nos próximos meses (39,5%) e os que creem na piora da tragédia (41,5%).

Crise econômica

Já sobre a situação econômica do país, os brasileiros se mostraram pessimistas. Para 54,5%, a crise financeira vai piorar, ante 23% que acham que vai ficar como está e 18,3% que apostam na melhora. 

Quanto à situação financeira pessoal, 46,7% dos entrevistados acreditam que a própria situação financeira vai se agravar nos próximos meses, 30,4% acham que suas finanças permanecerão inalteradas, 18,8% acreditam na melhora, ao passo que 4,2% não sabem ou não responderam. 

Segundo o Instituto Paraná Pesquisas, o estudo tem confiabilidade de de 95%, com margem de erro de estimada em 2% para mais ou para menos. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade