Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Damares crava: 'Daqui a pouco, quem vai vacinar o mundo será o Brasil'

Ministra de Jair Bolsonaro defendeu colega palaciano das críticas e demonstrou otimismo com imunizações no país


13/03/2021 07:00 - atualizado 13/03/2021 07:07

Damares disse ser 'apaixonada' pelo trabalho feito por Pazuello(foto: Marcello Casal Jr/Agencia Brasil )
Damares disse ser 'apaixonada' pelo trabalho feito por Pazuello (foto: Marcello Casal Jr/Agencia Brasil )
Simpática ao trabalho do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a chefe do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, está otimista com o processo de vacinação antiCOVID-19 no Brasil.

Nessa sexta-feira (12/3), no seminário virtual “Mulheres de um novo tempo — 2021/2031”, ela elogiou o trabalho do companheiro de governo e minimizou as críticas por conta das sucessivas mudanças no número de doses previsto no cronograma de imunização.

“O que está havendo é muito barulho. ‘Ah, mas o cronograma de vacina deu errado’. Temos muitos países (da Europa) com dificuldade para vacinar. Acredito que a gente vai dar um show. Além da gente estar comprando, o Brasil está desenvolvendo vacinas próprias. O Ministério da Ciência e Tecnologia está investindo em vacinas. Daqui a pouco, quem vai vacinar o mundo será o Brasil”, falou, ao responder questionamento enviado pelo Estado de Minas.

A estratégia de imunização foi alterada algumas vezes. Para março, 46 milhões de injeções chegaram a ser anunciadas. Depois, o número caiu para 37,4 milhões. Nesta semana, no Palácio do Planalto, o ministro da Saúde fez outra projeção: o país deve ter entre 22 milhões e 25 milhões de injeções neste mês.

Para defender a atuação de Pazuello ante a pandemia, Damares recorreu à descentralidade da saúde no Brasil. 

“As pessoas acham que o ministro da Saúde vai cuidar do postinho. Não. A gente manda o recurso e quem cuida são prefeitos e governadores. Isso é a saúde descentralizada. Tudo é culpa do ministro Pazuello? Essas imagens que estamos vendo, dos hospitais de campanha desativados — milhões, bilhões — são culpa do Pazuello?”, questionou.

No mês passado, à GloboNews, Damares disse ser “apaixonada” pelo trabalho feito por Pazuello. Questionada sobre a manutenção da opinião mesmo diante de críticas sofridas por ele, a pastora foi taxativa. 

“O que ele tem que fazer é enviar recursos e criar diretrizes. Isso ele está fazendo. O ministro Pazuello não para; ele viaja o Brasil inteiro e está andando muito. Aquilo que é responsabilidade dele, ele está dando conta. Eu elogio o ministro Pazuello. Estamos em uma pandemia, uma guerra. Não existe manual para isso. Ele está fazendo o máximo dele. Defendo, sim”.

A vacina do ‘ministro-astronauta’

Citado por Damares, o Ministério da Ciência e Tecnologia, chefiado pelo ex-astronauta Marcos Pontes, é incentivador da produção de uma vacina totalmente brasileira. O governo firmou parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para estudos do tipo. 

Na última segunda-feira (8), à CNN Brasil, Pontes disse esperar a conclusão de um imunizante antiCOVID-19 100% nacional até o fim deste ano.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade