Publicidade

Estado de Minas Balanço de fim de ano

Governo Zema anuncia economia de R$ 102 milhões e fundo para idoso

Informações foram dadas durante prestação de contas da administração estadual para o ano de 2020


18/12/2020 11:18 - atualizado 18/12/2020 11:39

Balanço de governo, secretaria de Desenvolvimento Social, Controladoria-Geral e Ouvidoria Geral do Estado(foto: Reprodução/Facebook)
Balanço de governo, secretaria de Desenvolvimento Social, Controladoria-Geral e Ouvidoria Geral do Estado (foto: Reprodução/Facebook)

Um breve relato de pouco mais de 25 minutos englobou a prestação  de contas de 2020 de três braços da administração direta do governo Romeu Zema (Novo) – Secretaria de Desenvolvimento Social, Controladoria-Geral  e Ouvidoria-Geral do Estado de Minas Gerais.

De concreto,  para o próximo ano, a captação de recursos para o financiamento de políticas públicas para idosos, por meio do imposto de renda  - contribuinte Pessoa física pode doar 5% do valor  devido, percentual de 1% para  pessoas jurídicas, para  o governo do estado aplicar no desenvolvimento de programas que resultem em qualidade de vida para essa parcela da população.

A opção por doar parte do IR poderá ser feita até 31 de dezembro. Parea tanto, bastar  entrar no site da secretaria e buscar o fundo do idoso.

 

Minas: Segundo no ranking de idosos

Minas Gerais é um dos estados com maior número de idosos no Brasil. São 3,7 milhões de pessoas acima de 60 anos, o que coloca os mineiros no 2º lugar do ranking nacional, atrás apenas de São Paulo, segundo o IBGE.

Preocupação


Além disso, a secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, informou que vai anunciar em janeiro próximo o que ela chamou de ‘’plano de retomada do desenvolvimento social”.

Ela  não adiantou nenhum detalhe do projeto, apenas  comentou:  “Estamos todos preocupados ( com essa área)” afirmou.

Controladoria- Geral do Estado


O controlador-geral do estado, Rodrigo  Fontenelle, destacou que, apesar dos 183 dias parados em função da pandemia, a controladoria, ainda assim, conseguiu  reaver  R$ 102 para os cofres públicos.
“Esses recursos ou deixaram de sair ou retornaram ( aos cofres públicos)”, explicou o controlador.

Ele também fez que questão de enfatizar que o governo de Minas não enfrentou nenhuma denúncia, muito menos processos,  em função de compras emergenciais  relacionadas ao combate do coronavírus.

Ouvidoria


A ouvidora-geral do Estado, Simone Deoud,  destacou a criação do aplicativo Canal Coronavírus para colher as demandas da população do estado. Segundo Simone, o canal “segue como controle social da pandemia”.

Ela contou que a ouvidoria contabilizou 62 mil  protocolos. Número menor do alcançado no ano passado, 76. Entretanto,  lembrou a ouvidora, 2019 foi o ano que as manifestações aumentaram 40%, se comparado com 2018.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade