Publicidade

Estado de Minas APOIO E RECHAÇO

Bolsonaro fala com apoiadores, mas também escuta vaias, panelaço e xingamentos

Presidente ouviu entre os tradicionais gritos de 'mito' também outros de 'fora Bolsonaro', além de xingamentos


postado em 23/05/2020 18:38 / atualizado em 23/05/2020 20:33

Enquanto comia cachorro-quente, Bolsonaro ouviu tradicionais gritos de 'mito', mas também foi xingado de lixo e chamado de assassino(foto: Reprodução Facebook)
Enquanto comia cachorro-quente, Bolsonaro ouviu tradicionais gritos de 'mito', mas também foi xingado de lixo e chamado de assassino (foto: Reprodução Facebook)
O presidente da República, Jair Bolsonaro, deixou na noite deste sábado, 23, o apartamento do ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, ao som de vaias e panelaço. O presidente chegou a cumprimentar alguns apoiadores, mas ouviu entre os tradicionais gritos de "mitos" também outros de "fora Bolsonaro", além de xingamentos.

No período da tarde, Bolsonaro e Ramos foram a uma confeitaria na quadra onde o ministro mora, na Asa Sul.

Depois, os dois ficaram reunidos por cerca de 1h30 na residência de Ramos.

Na saída, após falar com alguns apoiadores ainda no saguão do prédio, Bolsonaro se aproximou de um grupo maior de pessoas, contudo, ao ouvir xingamentos, retornou rapidamente ao carro e saiu.

Casa do filho

O presidente foi também para o Sudoeste, bairro de Brasília próximo ao Plano Piloto, onde mora Jair Renan Bolsonaro. Na quadra também foram registrados panelaços vindos das janelas.



O "passeio" do presidente incluiu ainda a parada em uma barraquinha de cachorro-quente na Asa Norte. Mais uma vez, a torcida se dividiu. Houve quem apoiasse Bolsonaro, mas também houve vaias e gritos de "fascista, assinassino e lixo".

A visita à carrocinha de cahorro-quente foi transmitida aovivo nas redes sociais do presidente.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade