Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Esposa de Moro entra na briga entre Bolsonaro e Mandetta: 'Entre ciência e achismos, fico com a ciência'

Advogada Rosangela Wolff Moro se manifestou pelas redes sociais, após o presidente dizer que está 'se bicando' com ministro da Saúde


postado em 02/04/2020 22:45 / atualizado em 02/04/2020 23:16

Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta,(foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, (foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Logo após o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), criticar explicitamente o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a esposa do ministro da Justiça, Sérgio Moro, tomou partido no debate. “Entre ciência e achismos eu fico com a ciência”, afirmou a advogada Rosângela Wolff Moro pelo Instagram. 

Rosângela seguiu: “Se você chega doente em um médico, se tem uma doença rara você não quer ouvir um técnico? @henriquemandetta tem sido o médico de todos nós e minhas saudações são para ele. In Mandetta I trust”.

Pouco depois da publicação, a mensagem foi apagada da rede social de Rosângela.

A esposa de Moro já havia se posicionado favoravelmente ao isolamento social para tentar frear a disseminação do coronavírus. Em um post anterior, ela diz: “Manter distância passou a ser uma forma de amor e cuidado e respeito. Aqui na minha cidade, na #republicadecuritiba tenho visto cidadãos extremamente conscientes e mantendo a distância necessária quando em locais públicos. Se sair preciso for #mantenhadistância. Distanciar-se é sinal de respeito”.

Ciência x Achismo

Em entrevista à Rádio Jovem Pan nesta quinta, Bolsonaro declarou o que já estava explícito – a discordância entre ele e o ministro da Saúde. Diferentemente do presidente, Mandetta tem destacado a importância de se manter o isolamento em todo o país para evitar a contaminação em massa da população.


O Mandetta já sabe que a gente está se bicando há algum tempo. Eu não pretendo demiti-lo no meio da guerra. Agora, em algum momento ele extrapolou. Ele sabe que tem uma hierarquia entre nós. Sempre respeitei todos os ministros. O Mandetta também, porque ele montou um ministério de acordo com sua vontade. A gente espera que ele dê conta do recado agora. Tenho falado com ele. Não é uma ameaça. Se ele se sair bem, sem problema. Agora, nenhum ministro meu é indemissível. Nenhum”, disse o presidente.

Bolsonaro chegou a falar que falta humildade a Mandetta. “Em alguns momentos, acho que o Mandetta teria que ouvir mais o presidente. Ele disse que tem responsabilidade, mas ele cuida da saúde, o Paulo Guedes da economia e eu entro no meio. O Mandetta quer fazer valer muito a vontade dele. Pode ser que esteja certo, mas está faltando humildade para ele conduzir o Brasil neste momento”.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade