Publicidade

Estado de Minas GOVERNO

Acordos comerciais com a Índia


postado em 25/01/2020 04:00 / atualizado em 25/01/2020 09:46

O presidente Jair Bolsonaro assistiu a uma apresentação de dança logo após desembarcar em Nova Délhi, na Índia, onde fica até terça-feira (foto: PRAKASH SING/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro assistiu a uma apresentação de dança logo após desembarcar em Nova Délhi, na Índia, onde fica até terça-feira (foto: PRAKASH SING/AFP)

Nova Délhi – O presidente Jair  Bolsonaro iniciou ontem visita de quatro dias à Índia, onde é convidado especial para as celebrações do Dia da República do país, amanhã. A viagem inclui a assinatura de pelo menos 10 acordos bilaterais na área de segurança cibernética, bioenergia e saúde. 

Hoje, o presidente brasileiro cumprirá agenda com protocolo de visita de Estado, com reuniões com o presidente indiano, Ram Nath Kovind, e o primeiro-ministro e chefe de governo do país, Narendra Modi. Também está programada visita ao memorial em homenagem ao pacifista indiano Mahatma Gandhi. 

No dia 27, também em Nova Délhi, Bolsonaro participa de café da manhã com empresários indianos para apresentar oportunidades de negócios no Brasil, com foco em investimentos no setor de infraestrutura. Depois, haverá um seminário entre empresários dos dois países. 

Na sequência, a comitiva brasileira embarca para Agra, cidade que abriga o famoso mausoléu Taj Mahal, um dos principais monumentos da Índia. Será o último compromisso oficial de Bolsonaro no país asiático. Depois disso, ele embarca de volta ao Brasil, onde deve chegar na terça-feira, ainda sem previsão de horário.

A comitiva de Bolsonaro é formada pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Teresa Cristina (Agricultura), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o secretário da Pesca, Jorge Seif, o senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (sem partido-SP) e o deputado federal Filipe Barros (sem partido-PR) também acompanham o presidente.

Apesar de o governo trabalhar nesse sentido, Bolsonaro não deve anunciar durante a viagem a isenção de visto de entrada para turistas indianos. Isso porque ainda estão em andamento estudos que permitam viabilizar a medida, segundo o governo. No ano passado, o Brasil isentou de visto de entrada os turistas provenientes de Japão, da Austrália, do Canadá e dos Estados Unidos. A medida foi tomada sem que houvesse reciprocidade desses países em relação aos turistas brasileiros. Agora a situação em relação ao país asiático sobre visto continua pendente.
 



Publicidade