Publicidade

Estado de Minas

Divinópolis doa terreno ao estado em troca de viaduto

Lotes avaliados em R$ 3,7 milhões serão cedidos ao governo de Minas, que em contrapartida vai concluir obra de infraestrutura iniciada em 2013 e parada há quatro anos no município


postado em 28/12/2019 07:35 / atualizado em 28/12/2019 08:22

Com obras paradas desde 2015, viaduto ligaria Centro Industrial de Divinópolis a estrada de acesso a Carmo do Cajuru(foto: Amanda Quintiliano/Divulgação )
Com obras paradas desde 2015, viaduto ligaria Centro Industrial de Divinópolis a estrada de acesso a Carmo do Cajuru (foto: Amanda Quintiliano/Divulgação )
Os vereadores de Divinópolis, na Região Centro-Oeste de Minas, aprovaram a doação de três terrenos do município para o governo do estado, avaliados em aproximadamente R$ 3,7 milhões. Em contrapartida, o governo estadual será responsável por concluir as obras do viaduto na região do Complexo da Ferradura.

Iniciadas em 2013, a construção está parada desde 2015, conforme mostrou reportagem do Estado de Minas. Sem as alças que ligarão o Centro Industrial, no Bairro Icaraí até AMG-345 – estrada de acesso da Carmo do Cajuru, o viaduto, até o momento, leva nada a lugar nenhum. 

Com a doação dos três terrenos que juntos somam 31,6 mil metros quadrados, o estado terá que assumir a execução do convênio que prevê 800 metros de extensão de infraestrutura rodoviária e o viaduto de 150 metros sobre a Ferrovia Centro Atlântica. Ele terá que repassar R$ 800 mil aos cofres do município para a obra em questão, além de outros R$ 2,2 milhões para construção do trevo de acesso ao aterro sanitário.

Também serão firmados novos convênios, um deles com o Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER) para pintura estratigráfica do trecho; outro para construção/reparos da galeria pluvial da Avenida JK, no Bairro Padre Libério; e para pavimentação da Rua Maria Pinto no Jardim das Oliveiras.

A assessoria de comunicação da prefeitura informou que os R$ 800 mil já foram repassados pelo estado para a conclusão do encabeçamento. A licitação deverá ser feita no início de 2020, quando deverão ser liberados os R$ 2,2 milhões restantes para o trevo na AMG-345 de acesso ao aterro sanitário e viaduto.

A obra

Com a proposta de encurtar em 30 quilômetros o percurso para escoamento da produção do Centro Industrial Coronel Jovelino Rabelo, as obras do viaduto tiveram início em 2013. Na época foi firmado contrato com a Lamar Engenharia, no valor de R$ 7,2 milhões. A paralisação ocorreu em 2015 quando os repasses por parte do estado foram suspensos.

O empreendimento é considerado fundamental para fomentar a atração de empresas para a região conhecida como Complexo da Ferradura. Quase quatro anos desde o início da construção, já saíram dos cofres públicos cerca R$ 5,2 milhões e serão necessários mais R$ 2 milhões para o encabeçamento do viaduto. O valor pago, até o momento, é referente a parte da ponte já levantada e ao asfaltamento de 2,6 quilômetros da rodovia DVL-120.

O anel viário ligará, bairros da região nordeste, como: Icaraí, Candidés, São Caetano, Lagoa dos Mandarins, Floramar, São Simão e outros bairros da Região Sudeste, como: Santa Lúcia, Padre Eustáquio, Dona Rosa e Santa Rosa. 

Terrenos

Os três terrenos doados ao estado ficam no Bairro Lagoa dos Mandarins. Eles serão utilizados dentro do projeto de duplicação da MG-050 no trecho de acesso ao Bairro Icaraí, na entrada da cidade de quem vem do sentido Belo Horizonte.

“A própria duplicação justificaria a doação, porque ela irá melhorar o fluxo do trânsito para as empresas do Centro Industrial. Mas a transação entre o município e o estado foi melhor ainda, pois incluiu essas contrapartidas”, destacou o vereador Josafá Anderson (Cidadania). (Amanda Quintiliano, especial para o EM)


Publicidade