Publicidade

Estado de Minas

Mourão chama militar preso com cocaína de 'mula qualificada' e diz que ele voltaria com Bolsonaro

Afirmação é do vice-presidente em exercício, Hamilton Mourão. Militar portava droga em 37 pacotes diferentes


postado em 26/06/2019 15:52 / atualizado em 26/06/2019 15:59

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

O sargento da Aeronáutica detido na terça-feira (25/6) no aeroporto de Sevilha, na Espanha, com 39 kg de cocaína em sua bagagem, voltaria com a comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que participa da cúpula do G20, em Osaka, no Japão, afirmou nesta quarta (26/6) o presidente em exercício, Hamilton Mourão.

O militar portava a droga, dividida em 37 pacotes, após pousar na cidade espanhola. Ele é membro da comitiva que acompanha a viagem do chefe do Executivo federal.

 

O militar detido é um sargento “taifeiro”, função equivalente à de um comissário de bordo. Ou seja, presta serviços de bordo em aeronaves.

“Quando tem essas viagens, vai uma tripulação que fica no meio do caminho. Então, quando o presidente voltasse agora, do Japão, essa tripulação iria embarcar no avião dele. Então, seria (destino) Sevilha (para) Brasil”, explicou Mourão.


Os 39kg apreendidos junto ao militar não deixam dúvidas que ele é uma “mula qualificada”.

“É óbvio que, pela quantidade de droga que o cara tava levando, ele não comprou na esquina e levou, né? Ele estava trabalhando como mula. Uma mula qualificada, vamos colocar assim”, ponderou o vice-presidente. Em nota, o Ministério da Defesa e o Comando da Aeronáutica afirmaram repudiar atos dessa natureza. Os órgãos confirmam que darão prioridade para elucidação do caso, aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colaboração com as autoridades espanholas.



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade