Publicidade

Estado de Minas

Frota diz que outros governos tiraram dinheiro das instituições 'como em nenhuma outra parte do planeta'

Deputado criticou integrantes da oposição e acusou ex-presidente Dilma de ter feitos cortes mais severos


postado em 15/05/2019 17:40 / atualizado em 15/05/2019 18:02

(foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
(foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) usou o plenário da Câmara, durante a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, na tarde desta quarta-feira, para fazer uma defesa do governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Incisivo, ele também teceu críticas aos partidos de esquerda, especialmente os do PT, e extrapolou ao dimensionar o tamanho de eventuais irregularidades. “Os governos passados tiraram dinheiro das instituições públicas como nunca aconteceu em outra parte do planeta”, disse.


O parlamentar ainda disse que os atuais cortes anunciados pelo MEC são, na verdade, inferiores aos ocorridos no governo da ex-presidente Dilma, por exemplo. “Dilma cortou da educação R$ 21 bilhões com o decreto da programação orçamentária para 2016”, destacou.


Ainda segundo Frota, ainda defendeu o atual governo contra o que chamou de falsas acusações. “Não temos ódio da cultura”, disparou. 


Em outro momento, ele citou a participação do ministro na transmissão ao vivo feita por Bolsonaro na semana passada e que teve a participação de Abraham. Na ocasião, o responsável pela pasta exemplificou os cortes usando chocolates e recebeu críticas, pois teria errado a conta. “Não e melhor fazer conta com bombom, mas trabalhar fazendo conta com cargo e trocar por dinheiro, essa é a verdade”, disse.


O ministro da Educação, Abraham Weintraub, está no Plenário da Câmara dos Deputados na tarde desta quarta-feira. Ele foi convocado ontem para prestar esclarecimentos sobre os cortes no orçamento das universidades e institutos federais com o apoio da maioria dos partidos. Apenas o PSL e o Novo foram contrários à convocação.


Publicidade