Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Filho caçula de Lula é nomeado assessor de petista na Assembleia de SP

Nomeação de Luis Claudio foi publicada no Diário Oficial do Legislativo desta terça-feira


postado em 02/04/2019 15:39 / atualizado em 02/04/2019 16:47

(foto: J. F. DIORIO/ESTADAO CONTEUDO/AE )
(foto: J. F. DIORIO/ESTADAO CONTEUDO/AE )

Luis Cláudio Lula da Silva, filho caçula do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi nomeado nesta terça-feira, 2, como assessor parlamentar na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Ele vai trabalhar no gabinete do deputado Emídio de Souza (PT), tesoureiro nacional do partido e ex-prefeito de Osasco, na Grande São Paulo.

A nomeação de Luis Claudio foi publicada no Diário Oficial do Legislativo desta terça-feira. Ele vai exercer o cargo em comissão (livre indicação) de auxiliar parlamentar, cujo salário previsto na escala de vencimentos da Alesp é de R$ 6.515,40. Cada deputado estadual tem direito a indicar até 23 assessores.

 O filho de Lula será o 13.º funcionário nomeado no gabinete de Emídio de Souza, que foi presidente estadual do PT e retornou à Assembleia paulista depois de 15 anos.

"Ele (Luis Cláudio) vai cumprir expediente e ficar interno na Assembleia. Vai cuidar das burocracias, ajudar com projetos, emendas, organizar agenda e cuidar das redes sociais", disse o deputado petista.

Questionado pela reportagem se a nomeação é um gesto de solidariedade a Lula, que está preso há um ano em Curitiba após ser condenado pela Lava Jato, Souza respondeu que sempre foi muito próximo a Luis Cláudio. "A família está sofrendo muito. Tomei essa iniciativa", disse.

Ainda sobre o assunto, por nota, o deputado afirmou que Luís Cláudio é uma pessoa qualificada e que tem todas as condições de contribuir com o mandato parlamentar no legislativo paulista.


Ainda de acordo com Emídio de Souza, o filho do ex-presidente está sendo vítima da mesma perseguição dedicada ao pai dele. “É descabida a tentativa de impedir Luiz Claudio de trabalhar. Não bastasse a implacável perseguição ao presidente Lula, as forças do atraso querem estender a perseguição a que ele é submetido a toda a sua família – o que reforça a afronta ao Estado Democrático de Direito”, afirmou.  


Ao lado de Lula, Luis Cláudio é réu na Operação Zelotes, na qual são acusados de negociar e receber R$ 2,5 milhões do casal de lobistas Mauro Marcondes Machado e Cristina Mautoni para influenciar na prorrogação, pelo governo federal, de incentivos fiscais a montadoras de veículos e na compra dos caças Gripen, da sueca Saab, por US$ 5,4 bilhões.

 Com Estadão Conteúdo


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade