Publicidade

Estado de Minas

Prefeitos decidem, na quarta-feira, se fazem acordo com governo Zema para receber R$ 1 bilhão

Valor é devido em parcelas de IPVA, ICMS e piso da educação que não foram pagas em janeiro. Proposta discutida nesta sexta-feira não foi revelada pela Associação Mineira de Municípios (AMM)


postado em 15/03/2019 18:15 / atualizado em 15/03/2019 18:21

Presidente da AMM, Julvan Lacerda, diz que proposta do governo está 'mais factível'(foto: Alexandre Guzanche/EM/D.A Press)
Presidente da AMM, Julvan Lacerda, diz que proposta do governo está 'mais factível' (foto: Alexandre Guzanche/EM/D.A Press)

Os prefeitos mineiros votarão em assembleia, na quarta-feira que vem (20), se aceitam a proposta feita pelo governo Romeu Zema (Novo) para quitar uma dívida de R$ 1,046 bilhão em IPVA, ICMS e piso da educação referentes a janeiro deste ano, já na gestão de Romeu Zema (Novo).

O encontro está sendo convocado pelo presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, que nesta sexta-feira participou de uma série de reuniões com representantes do Executivo.

 “As conversas se aproximaram de um acordo mais factível”, afirmou o prefeito, sem adiantar qual a alternativa apresenta pelo governo. Julvan alegou que ainda espera a formalização da proposta no papel para debater o assunto com os prefeitos.

A princípio, a proposta do governo era quitar a parcela de janeiro junto com os outros R$ 12,3 bilhões devidos por Fernando Pimentel (PT) em 30 meses, a partir do ano que vem.

A ideia foi rejeitada pela AMM, que havia dado um ultimato para Zema: se até esta sexta-feira não fosse viabilizado um acordo sobre os recursos, a entidade recorreria à Justiça com pedido de intervenção e até um impeachment do governador.

“Até quarta-feira vamos aguardar para ver se fazemos o acordo ou partimos para a Justiça”, disse Julvan. O encontro será às 15h, em Belo Horizonte.


Publicidade